Jair Picerni aprova São Caetano 2002

A goleada por 4 a 0 sobre o Alianza Lima, do Peru, pela Taça Libertadores da América, na quarta-feira, deu novo ânimo ao técnico do São Caetano, Jair Picerni. Para ele, a boa fase de 2001, quando foi vice-campeão brasileiro, perdendo a decisão par a o Atlético-PR, aos poucos, se repetirá nesta temporada. "Tivemos pouco tempo para nos preparar para esta temporada. Além disso, alguns jogadores saíram e outros chegaram. O entrosamento era uma questão de tempo. Agora já estamos começando a render o mesmo do ano passado", garantiu Picerni, que promete lutar pela classificação dentro do Grupo 1.E a boa fase deverá ser colocada à prova no próximo domingo, quando o Azulão vai até a Vila Belmiro enfrentar o Santos. Para esta partida, o treinador não poderá contar com o zagueiro-volante Serginho, que cumpre suspensão por ter sido expulso no jogo contra o Bangu, no último final de semana. Em seu lugar entra Marcos Senna, que não atuou contra o Alianza Lima, também suspenso.Picerni terá um ?agradável? problema para resolver até o jogo contra o Santos. Como Somália estava suspenso, quem autou contra os peruanos foi Brandão. Com apenas 21 anos de idade, o jogador, emprestado pelo Iraty-PR, marcou dois gols e teve atuação de destaque na partida, deixando Picerni com dúvida sobre quem será o companheiro de Anaílson no comando de ataque, domingo. "Ainda não sei, mas posso dizer que os dois têm chances de entrar em campo no domingo", despistou o treinador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.