Jair Picerni deixa Sertãozinho por não fazer ´milagres´

Alegando não ter condições de fazer milagres, o técnico Jair Picerni deixou nesta sexta-feira o comando do Sertãozinho, caçula do Campeonato Paulista e um dos ameaçados pelo rebaixamento. A diretoria concordou com a inesperada saída do técnico, uma vez que ele estaria desmotivado.?O elenco não é dos melhores e um pouco limitado. Eu não faço milagres?, disse o treinador em sua despedida no Estádio Frederico Dalmazo. O presidente do clube, Antônio Aparecido Savenagno, logo deu a resposta: ?O homem que era para dar motivação ao elenco estava desmotivado. Então era melhor que ele saísse.?Picerni assumiu o clube no dia 12 de fevereiro, em substituição a Nenê Belarmino. Ele dirigiu o time em apenas três partidas. A estréia foi com vitória: 3 a 2 no Santo André. Depois, perdeu, ainda em casa, para o Ituano, também por 3 a 2. Na quarta-feira, em São José do Rio Preto, nova derrota: 2 a 0 para o América.O novo treinador será anunciado ainda nesta sexta-feira. Ele terá a missão de melhorar a campanha do Sertãozinho, que em 10 jogos perdeu seis, empatou dois e venceu dois. Com oito pontos, o time ocupa a 18.ª posição e recebe, no domingo, o Rio Claro, outro caçula do Paulistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.