Pilar Olivares/ Reuters
Pilar Olivares/ Reuters

Jair põe derrota no passado e pede recuperação do Corinthians para o clássico

Técnico está preocupado com Jadson e Douglas, que se recuperam de lesão, e são dúvidas para o duelo com o São Paulo no próximo sábado

João Prata, O Estado de S.Paulo

04 Novembro 2018 | 20h45

O técnico Jair Ventura evitou apontar os erros do Corinthians na derrota para o Botafogo por 1 a 0 neste domingo, no Engenhão, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. O treinador já está com a cabeça no clássico contra o São Paulo no próximo sábado, na Arena.

"Não adianta a gente ficar lamentando muito, temos um clássico pertinho. Temos que recuperar jogadores importantes, como Jadson e o Douglas. O Douglas, treinei a semana inteira com ele e, no último lance do treino (de sábado), ele tomou um tostão e acabou ficando fora do jogo. É recuperar nossos guerreiros para a gente fazer um grande clássico e vencer diante da nossa torcida", analisou.

O tropeço manteve o Corinthians na 11ª colocação, com 39 pontos, a cinco da zona de rebaixamento. O São Paulo também chegará para o clássico em baixa, pois empatou por 2 a 2 com o Flamengo em casa e ficou praticamente fora da briga pelo título - o time tricolor está a nove pontos do líder Palmeiras faltando seis rodadas para o final da competição.

Jair, mais uma vez, disse que não faz contas para o time escapar do rebaixamento. Ao mesmo tempo, ele também não descarta um sonho distante de alcançar uma vaga para a Libertadores - sete pontos separam a equipe do G6.

"Vamos jogo a jogo, fazer nosso melhor e chegar no dia 2 de dezembro, quando terminar a partida contra o Grêmio (pela última rodada), vemos onde fomos capazes de chegar. O Corinthians não pode nunca olhar para baixo, não vai ser com uma vitória que a gente vai olhar para cima ou com uma derrota que vamos olhar para baixo. Vamos fazer nosso melhor jogo a jogo", opinou.

Por fim, o treinador comentou também sobre seu reencontro com o Botafogo, a equipe que o projetou como técnico em 2016. "Estou praticamente voltando para casa, o clube em que fiquei dez anos e num passado recente vivemos grandes momentos juntos. Mas hoje eu estava do lado do Corinthians, e o meu carinho pelos torcedores continua o mesmo", encerrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.