Javier Brusco / AP
Javier Brusco / AP

Jair Ventura admite alívio com vitória e lista feitos do Santos no ano

Sobre venda de Rodrygo, técnico diz apenas torcer para que o negócio seja bom para todos

Estadão Conteúdo

14 Junho 2018 | 07h18

O técnico Jair Ventura garantiu que não sairá do comando do Santos por vontade própria e valorizou os feitos alcançados pela equipe no ano até aqui. O técnico ganhou fôlego na noite desta quarta ao conquistar a quarta vitória em 11 jogos no Brasileirão, por 1 a 0 contra o Fluminense, no Maracanã, no Rio de Janeiro.

+ Bruno Henrique se emociona e celebra primeiro gol do ano pelo Santos

+ Abel Braga pede reforços no Fluminense após 4ª derrota seguida

"Minha situação é a mesma de todos os treinadores do Brasil. Você está sempre sendo botado em xeque até o próximo jogo. Eu me preparei muito para isso. Minha permanência não depende de mim. Eu não vou pedir demissão e sigo fazendo o meu melhor. Quando a bola entra, como hoje, alivia a vida do técnico", afirmou o treinador.

Jair fez uma retrospectiva da equipe em 2018 e julga que o saldo é positivo. "A gente se classificou em primeiro no grupo da Copa Libertadores. Na Copa do Brasil, passamos de fase com uma goleada. 'Perdeu o segundo jogo', disseram, mas ganhei por 5 a 1 o primeiro. Dei o luxo de ir com time alternativo na volta. No Brasileirão, só não enxerga quem não quer que esse não é o lugar do Santos. Que esse momento possa ficar para trás e a gente possa brigar por todas as grandes competições, uma coisa que poucos times podem fazer", analisou.

Sobre a partida, Jair explicou porque alterou o esquema tático do 4-3-3 para o 4-4-2. "Perdemos quatro atacantes para essa partida. Sasha e Rodrygo, que vinham jogando, Arthur Gomes e Yuri Alberto, por lesão. Eu tive que fazer uma mudança tática. A gente jogou com um quadrado no meio, com Bruno Henrique e Gabriel mais soltos, Jean Mota e Léo Cittadini nas meias. Mudanças por ordem médica e pela situação do Rodrygo", comentou.

Sobre a possível venda de Rodrygo para o Real Madrid e a saída do atacante da concentração antes da partida contra o Fluminense, Jair afirmou que é uma situação que "sai da alçada do treinador" e torce para que o negócio seja bom para todos. Com um jogo a menos na tabela de classificação, a equipe do técnico tem 13 pontos e ocupa o 15º lugar. Depois da parada da Copa, o Santos vai enfrentar o Palmeiras, no dia 19.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.