Jair Ventura descarta férias e desabafa após vaga: 'Gosto de concretizar sonhos'

Técnico assumiu Botafogo após saída de Ricardo Gomes durante o Brasileirão

Estadão Conteúdo

12 de dezembro de 2016 | 13h45

A classificação do Botafogo para a próxima edição da Copa Libertadores, assegurada com a vitória por 1 a 0 sobre o Grêmio em Porto Alegre, no último domingo, provocou um desabafo do técnico Jair Ventura. Após o duelo, ele declarou que esperar "fazer a falar" ao justificar as afirmações contidas, de que o foco do time era apenas evitar o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

"Algumas pessoas me criticavam porque eu não tinha ambição. O que eu mais tenho na vida é ambição. Não gosto de vender sonhos. Gosto de concretizar. O objetivo interno sempre foi esse, por isso eu não falava a palavra. Mas como é bom falar Libertadores. Melhor estar do que falar. Prefiro fazer do que falar", afirmou.

Jair Ventura assumiu o comando do Botafogo durante o Brasileirão, após Ricardo Gomes optar por sair da equipe e se transferir ao São Paulo. A partir daí, tirou um time com orçamento modesto da proximidade da zona de rebaixamento e o levou para a Libertadores, com a quinta colocação.

Por isso, Jair Ventura foi considerado uma das revelações do Brasileirão. Mas ele garante que não vai se acomodar e "cancelou" as férias para estudar mais. "As férias não vão acontecer. O meu objetivo era fazer o curso da Uefa no ano que vem. Já estou perdendo o curso da CBF, que começou na sexta. Segunda-feira estou indo para Granja. Quero estudar. Estou apenas começando. Quero buscar novos conhecimentos e me aprimorar", disse.

A participação na próxima Libertadores empolga a torcida do Botafogo, que espera a chegada de reforços renomados a um elenco de "operários". Mas Jair Ventura pede calma e lembra os recursos financeiros escassos do clube.

"A torcida quer grandes nomes, o Botafogo quer grandes nomes, mas temos que pensar na realidade do Botafogo. No ano passado a gente estava na Série B. Agora vamos para Libertadores. Essa nova gestão pegou uma terra arrasada, está arrumando a casa. Temos que ver a realidade do Botafogo. O que o clube passar, vamos sentar e ver o que dá para contratar dentro da realidade do clube", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.