Jair Ventura descarta pressão no Botafogo por vaga na Libertadores

'Ninguém aqui achava que o Botafogo iria brigar pela Libertadores', afirma treinador

Estadão Conteúdo

07 Outubro 2016 | 19h16

O técnico Jair Ventura descartou nesta sexta-feira qualquer pressão sobre o Botafogo por uma vaga na nova Copa Libertadores. De tão preocupado com a expectativa da torcida, o treinador evitou até mencionar o nome da competição em entrevista ao fim do treino desta sexta, no Engenhão.

"Eu não tenho por que falar essa palavra ainda. O torcedor é paixão, ele tem todo direito de pensar em Libertadores e título", esquivou-se, já projetando a pressão da torcida. "Ninguém aqui achava que o Botafogo iria brigar pela Libertadores. Não vou contrariar e dizer que eu também achava isso. Eu estou louco para falar sobre Libertadores, mas ainda não é o momento."

Antes ameaçado de rebaixamento, o Botafogo reagiu no Brasileirão nas últimas rodadas. E passou a cogitar a classificação para disputar a Libertadores nesta semana, após decisão d Conmebol de ampliar a competição e dar mais duas vagas ao Brasil na competição. Assim, o G4 se tornou G6 e mais times passaram a brigar por um lugar no torneio.

O Botafogo, porém, ainda é o nono colocado da tabela. Com 41 pontos, precisa obter mais vitórias para alcançar o Atlético-PR, atual dono da sexta vaga na Libertadores. Para tanto, o time carioca terá que superar o Figueirense, neste domingo, em Florianópolis.

"A gente sabe que jogar lá é muito difícil. Eles só perderam um jogo lá. Como mandantes, são muito fortes. Mas temos nossa estratégia, nossa força. Estamos conseguindo fazer bons jogos fora de casa. Jogamos de igual para igual, sem nos amedrontar", disse Jair Ventura.

Para a partida no estádio Orlando Scarpelli, o treinador só tem uma dúvida no time. Ele não definiu se o lateral Diogo Barbosa, ausente das últimas atividades em razão de uma torção no tornozelo, vai viajar com o grupo. Victor Luís deve ser seu substituto.

A provável escalação do Botafogo deve ter Sidão; Alemão, Carli, Emerson Santos e Victor Luís; Airton, Bruno Silva, Lindoso e Camilo; Neílton e Sassá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.