Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Jair Ventura prevê pressão do Atlético-PR, mas quer Botafogo jogando para vencer

Alvinegro enfrenta o rubro-negro nesta quinta-feira, na Arena da Baixada

Estadão Conteúdo

19 de julho de 2017 | 17h34

O técnico do Botafogo, Jair Ventura, projetou um jogo difícil, com muita pressão da torcida adversária e com mais velocidade devido à grama sintética da Arena da Baixada nesta quinta-feira diante do Atlético Paranaense. No entanto, o treinador confia no bom momento dos seus comandados e acredita que a equipe sairá de Curitiba com três pontos conquistados.

"Jogo complicado, uma boa equipe. A torcida faz uma pressão muito grande lá. Enfrentei o Atlético uma vez lá, mas fizemos um jogo muito bom. Acabamos perdendo por 1 a 0, mas foi um dos nossos melhores jogos no ano passado. Mas é bem difícil. Um pouco diferente mesmo de jogar na grama. Não é uma desculpa caso perca. É uma situação diferente. A bola fica um pouco mais rápida. Mas a gente vai para pontuar, respeitando a equipe do Atlético. A gente está num bom momento no Brasileiro, mas quanto mais pontos, melhor. O nosso objetivo é buscar a vitória", analisou o técnico.

Jair Ventura também confirmou, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, no Rio, que o lateral-direito Arnaldo (contusão na coxa direita) e goleiro paraguaio Gatito Fernández (se recuperando de corte no joelho) estão fora do confronto diante dos paranaenses.

O treinador ainda revelou mais um desfalque. "O Arnaldo teve uma lesão considerável, requer um tempo maior de recuperação e está fora da viagem. O Gatito também não. O Helton (goleiro) acabou tendo um corte no rosto no treinamento e também fica de fora. Vai o Saulo (para Curitiba)", explicou o comandante botafoguense.

Jair Ventura também comentou a saída do meio-campista Camilo, que pode ser anunciado como reforço do Internacional para a disputa da Série B do Brasileiro. O técnico botafoguense lamentou a saída do jogador e negou os rumores de que ambos tiveram problemas de relacionamento.

"Fui pego de surpresa com a saída dele e contra, mas foi opção do atleta. O relacionamento com os atletas é ótimo. Um grande exemplo disso foi o Montillo (que recentemente decidiu se aposentar após várias contusões), que me colocou entre os melhores treinadores. Meu coração só cabe coisas boas. Desejo toda a sorte para o Camilo", disse.

O Botafogo começou a 15.ª rodada na sexta posição com 22 pontos, mesma pontuação do Palmeiras, quinto colocado, mas que está à frente do time carioca pelos critérios de desempate da competição - os paulistas têm uma vitória a mais (7 a 6).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBotafogoJair Ventura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.