Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Jair Ventura tem duas ‘finais’ para seguir no Corinthians na próxima temporada

Com aproveitamento de 33,3% no comando da equipe, técnico precisa fechar o ano em alta para continuar em 2019

João Prata, O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2018 | 05h00

O técnico Jair Ventura já indicou reforços para a próxima temporada, fechou com a diretoria a lista de atletas que estão emprestados e serão reintegrados e também parece saber com quem do atual elenco não pretende contar. Só falta agora garantir a permanência no Corinthians em 2019.

Apesar de publicamente os dirigentes corintianos bancarem o nome do treinador, nos bastidores ele não é unanimidade e depende muito dos dois jogos que faltam no Campeonato Brasileiro para seguir no clube - a equipe encara a Chapecoense, domingo, em casa, e depois enfrenta o Grêmio, dia 2, fora.

Se o desempenho de Jair for apenas analisado pelos números, seus dias no comando da equipe estão contados. Em 17 jogos foram oito derrotas, cinco empates e quatro vitórias, com 33,3% de aproveitamento, o mesmo do Vitória, o penúltimo colocado na tabela do Campeonato Brasileiro.

O mais recente tropeço veio na quarta-feira, na derrota por 1 a 0 para o Atlético-PR, em Curitiba, resultado que comprovou um desempenho ainda pior do time quando atua fora de casa. O último triunfo do Corinthians em estádio adversário aconteceu ainda no primeiro turno, em 29 de julho, na goleada sobre o Vasco por 4 a 1, pela 16.ª rodada do Brasileirão.

Não bastassem essas dificuldades, o nome do antecessor Fabio Carille passou a ser discutido no clube nesta semana. O técnico do título brasileiro do ano passado e do paulista deste ano deixou o Corinthians em maio e assinou contrato por duas temporadas com o Al-Wehda, da Arábia Saudita. Jair se esquivou sobre a possível concorrência. “A troca ou não troca são coisas da diretoria. Está na mão deles. Já manifestei minha vontade de permanecer”, afirmou.

O que pesa a favor do atual treinador é que ele pegou uma equipe desmontada, com a competição já caminhando para a reta final. Jair assumiu no início de setembro, às vésperas do clássico contra o Palmeiras e com o time na semifinal da Copa do Brasil. De lá para cá fez inúmeros testes na formação titular e só conseguiu repetir a equipe de um jogo para o outro na última quarta-feira.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.