Rodrigo Gazzanel/ Ag. Corinthians
Rodrigo Gazzanel/ Ag. Corinthians

Jair Ventura tenta dar ao Corinthians primeira sequência de vitórias no Brasileiro

Time alvinegro alterna altos e baixos e ainda não conseguiu somar três triunfos seguidos na competição

João Prata, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2018 | 05h00

O Corinthians ainda não conseguiu deslanchar no Campeonato Brasileiro. Desde o início da competição, o time alterna altos e baixos e não à toa ocupa a oitava colocação na tabela com 33 pontos, a nove de distância do grupo da Libertadores.

A oscilação vem por diversos fatores. Do time titular que venceu os dois primeiros jogos no torneio, quatro foram negociados: o zagueiro Balbuena, o lateral-esquerdo Sidcley, o volante Maycon e o meia Rodriguinho. A equipe ainda perdeu o volante Renê Júnior, que rompeu o ligamento do joelho e só deve voltar na próxima temporada.

Além disso, houve duas mudanças no comando técnico. Fabio Carille, que levou o Corinthians ao título brasileiro do ano passado e ao paulista deste ano em maio foi para o Al-Wehda, da Arábia Saudita. O auxiliar Osmar Loss tentou dar continuidade, mas a perda de importantes jogadores dificultou as coisas. 

O técnico Jair Ventura assumiu em seu lugar no início de setembro e comandou a equipe em uma derrota e uma vitória no Campeonato Brasileiro. Agora, no domingo, às 16h, na Arena Corinthians, contra o Internacional, o time alvinegro buscará pela terceira vez somar duas vitórias consecutivas, feito alcançado somente nas duas primeiras partidas do torneio e nas 15ª e 16ª rodadas.

Comparar com o Campeonato Brasileiro do ano passado chega a ser quase uma covardia. O time alvinegro fez um início espetacular de competição em 2017, finalizou o primeiro turno de maneira invicta e conseguiu uma série de seis vitórias consecutivas e outra de cinco triunfos em seguida. No total, liderou 34 das 38 rodadas e conquistou a taça com três rodadas de antecedência.

Presente no título, o volante Gabriel tem alternado jogos entre o time titular e o banco de reservas. No domingo, ele deve jogar porque Ralf está suspenso pelo terceiro cartão amarelo. O jogador concorda que a oscilação na atual temporada atrapalha no entrosamento da equipe, mas acredita que ainda há tempo para brigar pelo G6 da competição.

"O Corinthians não está onde deveria. Nos últimos dez anos, foi o clube que mais ganhou títulos. Estar nessa posição incomoda. Ano passado éramos time para brigar para não cair e fizemos o que fizemos", lembrou. 

"Neste ano as coisas não estão acontecendo, mas temos muitas rodadas para subir na tabela e brigar por uma vaga na Libertadores. Precisamos começar a ganhar jogos e pontos importantes nos dará condições de brigar por coisas melhores", prosseguiu.

Faltam 12 jogos para o término do Campeonato Brasileiro. No entanto, logo depois da partida contra o Internacional, e antes de visitar o América-MG no outro final de semana, o Corinthians terá seu jogo mais importante da temporada: receberá o Flamengo, na quarta-feira, no duelo de volta das semifinais da Copa do Brasil. A primeira partida terminou em 0 a 0. Se seguir vivo no torneio mata-mata e depois erguer a taça, os altos e baixos no Brasileirão serão esquecidos.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.