Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Jair Ventura valoriza empate, mas lamenta protesto da torcida do Botafogo

Treino da equipe no Engenhão por invadido por torcedores

Estadão Conteúdo

20 Novembro 2017 | 08h38

O técnico Jair Ventura valorizou o empate fora de casa do Botafogo com o São Paulo, na noite deste domingo. Mas não deixou de criticar parte da torcida que invadiu o treino da equipe no Engenhão, no sábado, e atrapalhou a preparação final da equipe para a partida disputada no Pacaembu, pela 36ª rodada do Brasileirão.

+ Tabela do Campeonato Brasileiro

"Nós fomos prejudicados. Essas pessoas que invadiram o treino não nos deixaram trabalhar. Eu falei antes da partida, antes de qualquer resultado, que isso não é benéfico. A gente tem uma rotina, um calendário muito cheio, poucos dias de trabalho, já que em 48 horas você tem o trabalho de recuperação. A gente não conseguiu trabalhar no único dia que tinha", lamentou o treinador.

Jair Ventura revelou aos jornalistas, na entrevista coletiva pós-jogo, que precisou improvisar na preparação da equipe por conta da invasão. "Vocês viram que eu fiz uma formação diferente e foi mais na base do vídeo e da conversa. A gente foi impedido de trabalhar, o que a gente é pago para fazer. É uma pena. A pessoa achou que ia ajudar e acabou prejudicando."

Diante destas dificuldades, o treinador valorizou o empate sem gols no Pacaembu. "A gente continua andando. Vai passar confiança, mostrar que o Botafogo não abdicou de sua vaga. A gente está na zona de classificação ainda, temos mais dois jogos para conseguirmos nosso objetivo. Só vai ser conquistado na última rodada, como foi no ano passado. Está tudo em aberto. O Botafogo segue confiante."

Apesar do empate, o Botafogo segue dentro da zona de classificação para a próxima Copa Libertadores. No momento, o time carioca soma 52 pontos e ocupa o sétimo lugar, o último da zona que dá vaga na competição sul-americana.

Jair atribuiu a permanência da equipe entre os primeiros colocados à entrega dos jogadores nesta reta final da temporada. "Eles fizeram boa partida, de muita entrega, organização tática, acho que é uma marca desse Botafogo. Time que não se entrega, briga por todas as bolas, não falta competitividade. Foi um jogo bom, equilibrado. Lógico que quem assiste quer ver gols, não teve, mas tivemos muitas oportunidades."

Agora o Botafogo tem mais duas partidas para selar sua vaga na Libertadores. Enfrentará o Palmeiras, no dia 27, em São Paulo, e o Cruzeiro, no dia 3 de dezembro, no Engenhão. E Jair cogita ter o retorno do atacante Roger, que removeu um tumor benigno do rim direito no mês passado.

"Estava conversando isso agora com o nosso preparador físico. Estamos trabalhando para isso. Ele perdeu 4 kg de massa magra, requer um tempo. Quando jogadores voltam das férias para uma pré-temporada, já voltam muito abaixo. E o Roger ficou parado total, isso tem até um risco. Então a gente vai conversar muito com nosso departamento de fisiologia e ver quanto tempo vamos poder usar o Roger", disse o treinador, sem fazer previsões de retorno sobre o atleta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.