Jairzinho explica Ronaldo para os alemães

Com o título "Ronaldo - Seu descobridor mostra compaixão", a revista alemã Sport Bild destaca na capa de sua edição desta semana uma entrevista com Jairzinho, o Furacão, artilheiro do Brasil na Copa de 1970, no México, sobre os problemas de Ronaldo.Na entrevista, Jairzinho afirma que Ronaldo come demais para esquecer os problemas, ataca a qualidade do atacante alemão Miroslav Klose e pede ainda para Parreira ter coragem e fazer as alterações necessárias na seleção brasileira. Na conversa com o repórter Andreas Böni, Jairzinho afirma que é triste a situação pela qual Ronaldo está passando neste momento. O craque de 70 revela então que a razão para o excesso de peso de Ronaldo é a fase atual, cheia de problemas, com contusões e pressão. "Acho que o problema de agora tem a ver, principalmente, com a última contusão. Quando ele está com problemas ele come muito. E agora ele não consegue ficar em forma de novo", declarou o Furacão. "E é verdade, sua massa no momento não é músculo, mas sim gordura", atacou. Jairzinho, o único jogador a marcar gols em todas as partidas numa mesma Copa do Mundo, disse não acreditar que Ronaldo esteja saindo demais, bebendo além da conta ou curtindo a vida noturna como já foi noticiado em alguns tablóides europeus. O Furacão foi além e provocou o repórter, perguntando, sem lembrar que Ronaldo não é muito bom cabeceador, por que Klose perdeu tantos gols de cabeça contra a Polônia. O campeão mundial de 70 fez uma comparação entre a carreira de Ronaldo e Klose, quantos Mundiais cada um disputou e quantos gols cada um fez, 12 contra oito. "Mais alguma pergunta? Ronaldo está numa classe acima da de Klose", completou o Furacão. Para finalizar, Jairzinho elogiou a decisão corajosa de Klinsmann, que escolheu Jens Lehmann para o gol da Alemanha no lugar de Oliver Kahn, contra toda a pressão. E pediu a mesma coragem a Carlos Alberto Parreira na seleção brasileira. "Ele comete erros na escalação. Juninho Pernambucano deveria entrar no meio, Cicinho na lateral e Robinho no ataque." Segundo ele, Roberto Carlos deveria ceder seu lugar a Zé Roberto e Cafu iria para o banco. No ataque, o Furacão declarou que escalaria quem estivesse mais em forma no momento. "O Brasil depende do jogo ofensivo e ele está enfraquecido por causa do excesso de peso dos dois atacantes no momento."Em Bergisch Gladbach, Parreira não quis comentar a entrevista do Furacão, revelando que o assunto Ronaldo e seu peso "já causou problemas demais."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.