Divulgação / Blackpool FC
Divulgação / Blackpool FC

Jake Daniels, jogador do futebol inglês, se assume homossexual e recebe apoio de ligas e clubes

Atacante de 17 anos do Blackpool espera que, através de sua história, outros atletas se sintam encorajados a se assumirem

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2022 | 16h20

O atacante Jake Daniels, do Blackpool, equipe da segunda divisão inglesa, se assumiu publicamente gay nesta segunda-feira em um passo histórico para a igualdade e diversidade no futebol. Dessa forma, ele se torna apenas o segundo jogador, ainda em atividade, a se declarar homossexual desde 1990, quando Justin Fashanu, também do futebol inglês, fez o mesmo. Daniels recebeu o apoio da Premier League, a liga inglesa, da Federação Inglesa de Futebol, além de vários clubes europeus.

"Por muito tempo, eu pensei que teria que esconder minha verdade, porque eu queria ser, e agora eu sou, um jogador de futebol profissional. Eu me perguntei se eu deveria esperar até eu me aposentar para me assumir", afirmou o atacante de apenas 17 anos à emissora inglesa Sky SportsNo Reino Unido, Daniels é o único jogador profissional assumidamente gay.

Em texto contado através de sua perspectiva, Jake revela que, desde os seis anos, já sabia que era homossexual. "Eu tenho vivido uma mentira há muito tempo", revelou. "Eu pensava que, quando ficasse mais velho, eu iria arrumar uma namorada, mudar e iria ficar tudo bem. Eu tive namoradas no passado, para tentar fazer todos os meus amigos pensarem que eu era hétero, mas não funciona assim", desabafou.

Daniels espera que, através de sua história, outros atletas se sintam encorajados e inspirados a se assumirem. "Só tenho 17 anos, mas estou certo de que é isso que quero fazer e se outras pessoas olharem para mim e sentirem que também podem fazer isso, seria incrível". 

Jake Daniels também relatou o apoio que recebeu de seus familiares e companheiros de equipe, após se assumir gay. "Alguns disseram: 'Estou orgulhoso de você'. Isso significou muito para mim", afirmou o jogador, que também se prepara para as reações das arquibancadas nos próximos jogos. "Haverá uma reação a isso e parte dela será homofóbica. É um alvo fácil, mas a maneira como vejo é que estou jogando futebol e eles estão gritando coisas para mim, mas estão pagando e estou ganhando dinheiro com isso. Grite o que quiser, não vai fazer diferença", contou.

Com a revelação de forma pública, seu clube, a Football League, que organiza a segunda, terceira e quarta divisões inglesas, além da Associação dos Futebolistas Profissionais, publicaram nota em defesa do jogador. "É vital que nós todos promovamos um ambiente em que as pessoas se sintam confortáveis em serem elas mesmas, e que o futebol seja um líder em combater qualquer forma de discriminação e preconceito", afirmou o Blackpool em comunicado.

Em novembro do ano passado, o lateral Josh Cavallo, do Adelaide United, da liga australiana, também se revelou homossexual e recebeu apoio de figuras importantes como do técnico do Liverpool, Jürgen Klopp. “Foi uma jornada chegar a este ponto da minha vida, mas não poderia estar mais feliz com a minha decisão de sair do armário. Tenho lutado com a minha sexualidade há mais de seis anos e estou feliz por poder revelá-la", disse Cavallo no vídeo, publicado na conta oficial do próprio Adelaide. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.