Luis Acosta/AFP
Luis Acosta/AFP

James não treina, mas viaja com a Colômbia e agradece fãs: 'Voltarei mais forte'

Meio-campista é dúvida para jogo contra a Inglaterra, na terça-feira

Estadão Conteúdo

01 Julho 2018 | 16h30

James Rodríguez não treinou pelo terceiro dia consecutivo neste domingo com o elenco, em Kazan, mas embarcou com a delegação da Colômbia para Moscou, onde a equipe enfrenta a Inglaterra nesta terça-feira, às 15 horas (de Brasília), pelas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. Assim, o camisa 10 segue como dúvida para o confronto.

+ Volante inglês destaca trio ofensivo da Colômbia: 'Sabemos muito sobre eles'

+ Após ser poupado contra vontade, Harry Kane se diz ansioso para encarar Colômbia

O meia do Bayern de Munique usou as redes sociais para agradecer aos fãs, que têm enviado palavras de incentivo a ele. "Obrigado pelas suas mensagens, são de grande apoio e energia positiva. Voltarei mais forte", publicou James Rodríguez, sem dar pistas se a volta pode ser neste jogo.

O craque colombiano tem dores na panturrilha direita. Fez exames no último sábado, mas não foi constatada lesão. James Rodríguez apresenta cansaço muscular.

Ele chegou à Rússia para a disputa do Mundial com problemas na outra panturrilha. Foi poupado na estreia contra o Japão, quando a Colômbia perdeu por 2 a 1. Depois, atuou os 90 minutos na vitória por 3 a 0 sobre a Polônia. E iniciou o jogo contra Senegal, na última quinta-feira. Mas foi substituído ainda no primeiro tempo do triunfo por 1 a 0.

 

Desde aquela partida, James Rodríguez não fez qualquer treinamento no campo. Apenas trabalho de recuperação e musculação. Nesta segunda-feira, o elenco faz o reconhecimento do gramado na Arena Spartak, local do duelo diante dos ingleses. Se for para o jogo, o meia pode sentir o ritmo da partida, já que estará há quatro dias sem participar de atividades mais fortes.

Apesar da possível ausência se seu principal destaque, a Colômbia está confiante em chegar às quartas de final. O volante Carlos Sanchez elogiou a Inglaterra, mas exaltou a qualidade do grupo sul-americano.

"Ela (Inglaterra) é uma equipe muito bem trabalhada, eles têm jogadores muito estruturados com jogadores jovens, que têm ambição. Seus jogadores têm poder ofensivo, mas também temos nossos pontos fortes e temos uma equipe capaz de enfrentar qualquer adversário", disse o jogador do Espanyol à Fifa TV.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.