Rubens Chiri / saopaulofc
Rubens Chiri / saopaulofc

Jandrei promete aprimorar jogo com os pés e projeta bater faltas no São Paulo

Goleiro revela ter Rogério Ceni como referência e afirma que treinador foi determinante para fechar com o tricolor paulista

Redação, Estadão Conteúdo

18 de janeiro de 2022 | 14h55

O goleiro Jandrei já afirmou que Rogério Ceni foi determinante para aceitar a proposta do São Paulo, no fim do ano. Mas, nesta terça-feira, ele surpreendeu ao mostrar que tem o treinador como referência ainda mais do que se esperava. O novo goleiro do time quer bater faltas e pênaltis na equipe.

"A questão de bater faltas, pênaltis, tenho vontade de aprimorar isso. Treino, mas nunca tive um acompanhamento grande, nunca foi o foco. Essa parte acabou ficando de lado, mas quero pegar dicas com o Rogério para que a gente consiga aprimorar meu jogo com os pés. Quero buscar meu melhor para buscar grandes conquistas com o São Paulo", comentou o reforço do time do Morumbi.

As cobranças de falta e de penalidades ficaram a cargo do lateral-esquerdo Reinaldo nos últimos anos, com a exceção do curto período em que Daniel Alves estava no clube, em 2021. Gabriel Sara e Igor Gomes também assumiram algumas cobranças. Jandrei desponta, então, como candidato a liderar os lances de bola parada na equipe para esta temporada.

O goleiro, contudo, chega ao clube como reserva imediato do titular Tiago Volpi, que oscilou ao longo da temporada passada e virou alvo fácil dos torcedores. "Volpi é um grande goleiro, trabalha muito, se doa 100% nos treinos. Ele teve momentos no ano passado, mas quando vemos lances isolados, todo jogador tem. Temos que estar prontos para quando a oportunidade chegar. Temos que buscar crescimento pessoal e profissional para ajudar o time nas grandes conquistas", comentou Jandrei.

Outro obstáculo no caminho do reforço do São Paulo é a falta de ritmo de jogos. O goleiro praticamente não jogou nos últimos anos. Na Itália, vestia a camisa do Genoa em apenas duas partidas ao longo de duas temporadas europeias. De volta ao Brasil, fez sete jogos pelo Athletico-PR e apenas um pelo Santos, no ano passado.

"Tive poucas oportunidades de jogar (desde que saiu do Brasil), mas sempre busquei evolução. Tive um grande crescimento, tanto na Itália como no Athletico, no Santos. Aprendo muito com cada um, Volpi, João Paulo, John (ambos do Santos). Busco estar pronto para quando a oportunidade chegar, independentemente se começar jogando ou não", projetou.

Para tanto, ele conta novamente com o apoio de Rogério Ceni. "Temos que evoluir no dia a dia com o Rogério, pegando dicas, treinos, posicionamento, para construir nossa história, também", disse Jandrei, que descartou a pressão de tentar ocupar a posição exercida pelo técnico por duas décadas no time. "Vejo a pressão de forma positiva. Da mesma forma que vou puxar o Tiago Volpi para cima, ele vai me puxar para cima e o mesmo com os outros goleiros. Vou buscar ajudar o São Paulo da melhor forma para que eu também seja lembrado de forma positiva."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.