Wong Maue-E/AP
Wong Maue-E/AP

Japão apoia Javier Aguirre após acusação de manipulação

Técnico da seleção nipônica tem seu nome envolvido em esquema de corrupção na Espanha, quando ainda comandava o Zaragoza

Estadão Conteúdo

04 de dezembro de 2014 | 10h44

A Associação Japonesa de Futebol (JFA, na sigla em inglês) informou que continuará dando apoio ao técnico da seleção do Japão, Javier Aguirre, depois de o treinador ter o seu nome envolvido em uma investigação que apura manipulação de resultados no futebol espanhol.

De acordo com relatos da mídia espanhola, autoridades no país estão se movendo para processar Aguirre e outras 30 pessoas suspeitas de ajudar a arranjar o placar de um jogo que o Zaragoza fez contra o Levante, em maio de 2011, pelo Campeonato Espanhol. Na época, o treinador estava dirigindo o Zaragoza.

Ao ser questionado sobre o assunto, o presidente da JFA, Kuniya Daini, disse que "ele mesmo (Aguirre) disse que isso não é um problema e que não há nada que possamos fazer", mas assegurou acreditar na palavra do comandante e na sua inocência neste caso.

Aguirre, por sua vez, retornou da Europa para o Japão nesta quinta, mas não falou com os repórteres que o esperavam. Ele evitou o contato com a imprensa após ver seu nome envolvido na suposta manipulação de resultado da partida válida pela rodada final do Campeonato Espanhol da temporada 2010/2011 do futebol europeu. Naquela ocasião, o Zaragoza bateu o Levante por 2 a 1 e escapou de ser rebaixado na competição.

Kuniya Daini afirmou que a situação de Aguirre neste caso iria "exigir mais consideração" se o treinador fosse processado na Espanha. Sob o comando do treinador, que assumiu a seleção japonesa após a decepcionante campanha na Copa do Mundo deste ano, o país acumulou três vitórias e três derrotas em seis jogos.

Tudo o que sabemos sobre:
FutinterfutebolJapãoJavier Aguirre

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.