Muhammad Hamed/Reuters
Muhammad Hamed/Reuters

Japão perde da Jordânia e desperdiça chance de classificação para Copa

Japoneses perderam um pênalti no segundo tempo, mas permanecem na liderança do Grupo B

Reuters

26 de março de 2013 | 14h14

O Japão desperdiçou um pênalti no segundo tempo e perdeu a oportunidade de se tornar o primeiro time a se classificar para a Copa do Mundo de 2014, ao ser surpreendentemente derrotado por 2 x 1 pela Jordânia em um jogo tenso, nesta terça-feira, em Amã. Os japoneses dominaram a posse de bola e criaram várias chances, mas a equipe do oeste asiático garantiu uma vitória memorável graças à eficiência defensiva e à boa pontaria no ataque.

Depois que o Japão perdeu várias chances de marcar pela maior parte do primeiro tempo, a Jordânia conseguiu abrir o marcador antes do intervalo numa jogada de Khalil Bani Ateyah, que livrou-se de Shinji Okazaki para cabecear com precisão para o gol, inflamando o estádio Rei Abdullah.

A Jordânia, que vencera a Austrália por 2 x 1 em casa em setembro, ampliou a vantagem num lindo lance individual de Ahmas Ibrahim, aos 15 minutos da etapa final. O atacante pegou a bola perto do meio-campo, driblou Maya Yoshida pela direita e invadiu a área, de onde acertou um chute de perna esquerda sem chances de defesa para o goleiro Eiji Kawashima.

Shinji Kagawa descontou quatro minutos depois, e o Japão poderia ter conquistado o ponto que precisava para se classificar de forma antecipada para o Mundial no Brasil logo em seguida, quando teve um pênalti marcado a seu favor. No entanto, o experiente meio-campista Yasuhito Endo teve sua cobrança defendida pelo goleiro Amer Sabbah.

O resultado deixou o Japão na liderança do Grupo B, com 13 pontos em seis jogos, e levou a Jordânia ao segundo lugar, com sete pontos no mesmo número de partidas.

Austrália e Omã, que empataram por 2 x 2 mais cedo em Sydney, têm seis pontos cada, mas os australianos têm um jogo a menos. Os dois primeiros colocados classificam-se diretamente para a Copa do Mundo de 2014.

(Reportagem de Patrick Johnston, em Cingapura)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.