Henry Romero/Reuters 
Henry Romero/Reuters 

Japão promete marcação forte diante do Brasil

Shinji Okazaki, do Mainz, pede para a equipe aproveitar as poucas chances de gol que serão criadas contra a seleção brasileira

Estadão Conteúdo

13 de outubro de 2014 | 14h52

Há alguns anos o Japão é elogiado pela evolução do seu futebol. Mesmo assim, os asiáticos ainda parecem distantes do nível das melhores equipes do mundo, entre elas o Brasil, rival desta terça-feira, às 7h45 de Brasília, em Cingapura. Tanto é que os jogadores do Japão pregam respeito aos brasileiros e prometem marcação dura.

Diante do Brasil, o time será comandado pela quarta vez pelo mexicano Javier Aguirre, que assumiu o cargo depois da Copa do Mundo. Desde então, os resultados da equipe foram melhorando à medida que a qualidade do adversário fazia caminho contrário: derrota para o Uruguai, empate com a Venezuela e finalmente vitória sobre a Jamaica, sexta-feira passada.

"Todos os jogadores do Brasil são muitos bons, então é vital prevenirmos qualquer movimento deles. Eu acredito que vamos nos sentir frustrados durante a partida, mas nós temos que lidar com isso. É uma boa oportunidade para nosso time", comentou Eiji Kawashima, jogador do Standard Liège, da Bélgica.

"É importante não perder nossas oportunidades e aproveitar nossas poucas chances efetivamente, enquanto estivermos sendo pressionados pelo Brasil. Quero ver como vamos jogar contra um dos times mais fortes do mundo. Se vencermos, podemos ir tão longe quanto quisermos", destacou Shinji Okazaki, do Mainz.
Tudo o que sabemos sobre:
futebolJapãoBrasilamistoso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.