Chicago Red Stars
Chicago Red Stars

Japonesa quer fim da discriminação no futebol e atuará em time masculino no Japão

Yuki Nagasato, do Chicago Red Stars, está voltando a seu país para defender o Hayabusa Eleven

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2020 | 17h28

A história de que mulher não pode jogar futebol com homens está chegando ao fim. A japonesa campeã mundial de seleções em 2011, Yuki Nagasato, do Chicago Red Stars, dos Estados Unidos, está voltando a seu país para defender o time masculino do Hayabusa Eleven.

Aos 33 anos, Nagasato quer quebrar esse tabu no futebol. Já vimos equipes mistas de tênis, vôlei, natação, mas não em uma das modalidades mais acompanhadas do planeta. A japonesa quer mostrar que é possível.

Em entrevista coletiva no Japão, durante apresentação em sua nova equipe, ela falou que foi inspirada a combater a discriminação pela estrela da seleção norte-americana Megan Rapinoe. "Gostaria de saber se poderia enviar uma mensagem para a sociedade. Quero ajudar na criação de uma comunidade sem fronteiras entre gêneros e raças", afirmou a atacante, que atuará ao lado do irmão Genki.

O Chicago Red Stars informou a seus torcedores sobre a negociação por empréstimo e informou que Nagasato retorna ao clube para a pré-temporada de 2021.

Nagasato vai defender o Hayabusa Eleven na segunda divisão da Kanagawa League, a oitava divisão do futebol japonês. Além se ser a primeira mulher no futebol japonês, ela realiza o sonho de jogar uma competição em seu Estado. Ela nasceu em Atsugi, cidade de Kanagawa.

A estreia dela deve ocorrer já neste fim de semana. A competição prevista para começar entre março e junho, mas adiada por causa da pandemia da covid-19, tem a primeira rodada marcada para sábado e domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.