Rubens Chiri/Divulgação
Rubens Chiri/Divulgação

Jardine exalta base tricolor: 'Pode dar mais retorno que contratações a peso de ouro'

Técnico da equipe Sub-20 do São Paulo prevê mais atletas da base no time principal na próxima temporada

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2017 | 14h03

O técnico do time Sub-20 do São Paulo, André Jardine, disse nesta quarta-feira que atletas da base tricolor deverão ser bastante utilizados em 2018 no time de Dorival Junior. Para o treinador, que comandou a jovem equipe na conquista da Copa RS, decidida no domingo retrasado, apostar em atletas formados na base do clube pode trazer mais resultado do que investir em grandes contratações.

Buffarini é esperado para exames no Boca Juniors e deve deixar São Paulo

"Tem jogadores que podem surgir aqui e que às vezes trazem darão mais retorno do que alguns jogadores contratados a peso de ouro pelo clube", avaliou Jardine, durante treino do Sub-20 no CT de Cotia. "Temos convicção de que muitos atletas da base vão subir para o time principal até porque o time não tem dinheiro para contratar todos os atletas que queria. Mas pela qualidade que temos na base, acho obrigatório que o time use esses garotos, porque seria um desperdício muito grande não fazê-lo."

Para Jardine, a conquista de títulos na base fortalece a formação dos atletas. "Continuaremos lutando por títulos porque sabemos que isso engrossa a experiência do atleta, por ele atuar em mais jogos decisivos, e também o prepara na parte emocional, que é fundamental."

O time Sub-20 do São Paulo se prepara para a "Copinha", a Copa São Paulo de Futebol Júnior, que começa no dia 3 de janeiro. O time de Jardine jogará na cidade de Ribeirão Preto pelo Grupo 10. Estreia no primeiro dia de competição contra o Cruzeiro-DF, depois enfrenta o Sergipe três dias depois e, no dia 9, encara o último adversário do grupo, o Botafogo-SP. Apesar de não vencer o torneio desde 2010, Jardine reconheceu que o São Paulo é visto como favorito para a edição de 2018, e valorizou o aprendizado para os atletas.

"A Copinha tem torcida e isso muda o cenário das partidas", explicou o treinador. "Os jogadores têm reflexo imediato de suas açõe e assim conseguimos prepará-los para o profissional. O São Paulo é sempre uma das equipes visadas na Copinha. Os adversários chegam extremamente concentrados para tentar nos anular. Mas é o peso da nossa qualidade. Isso precisa ser um motivador e não nos presionar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.