Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Jardine vê injustiça em protestos e destaca caráter de jogadores do São Paulo

Técnico valoriza a atuação da equipe e classifica derrota como fatalidade

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

15 de agosto de 2016 | 07h15

Em seu último jogo como técnico interino da equipe do São Paulo, André Jardine teve que explicar os motivos do time ter perdido por 1 a 0 para o Botafogo, neste domingo, no Morumbi, após uma atuação muito ruim na maior parte da partida. Ao final, torcedores protestaram na frente do estádio e falaram que a equipe "amarelou" fazendo referência a cor amarela do uniforme especial utilizado na partida. Jardine não concordou com o adjetivo e defendeu o elenco.

"Não acho correto. Futebol não é justo e você corre riscos quando se expõe para buscar a vitória. Empatar em casa não faria diferença nenhuma para nós. Atacamos demais, tivemos o merecimento do gol e a dedicação que tivemos merece ser ressaltada", disse o treinador, que defendeu também o lateral-direito Buffarini, driblado no lance do gol. "Ele tinha dado dois piques seguidos para nos salvar e pagou no lance do gol, é preciso valorizar essa luta".

A tendência é que nesta segunda-feira o técnico Ricardo Gomes já comece os trabalhos no São Paulo. Jardine deve retornar ao comando do time Sub-20 da equipe, mas já avisou ao novo treinador que elenco ele terá nas mãos. "É um grupo de caráter diferenciado para brigar e colocar o São Paulo na parte de cima da tabela. Foram gratificantes esses dez dias de trabalho. Acrescentaram demais na minha vida e na minha carreira de treinador. Tenho certa o futebol encantará e voltaremos a subir na tabela no comando do Ricardo", projetou.

Sobre a atuação na partida, o interino viu o time apresentar um bom futebol, mas falhou nos momentos decisivos. "O São Paulo insistiu do começo ao fim. No segundo tempo, o Botafogo chutou uma única bola e fez o gol. Lamento por todo o trabalho que fizemos na semana, pois tinha sido muito produtivo. Tivemos volume de jogo e não fizemos o gol. No segundo tempo, deixei um time um pouco mais exposto, pois o empate não era bom resultado", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.