Javier Mascherano já se sente em casa

"A torcida é o melhor que eu já vi na minha vida?.? A frase, dita no gramado do Pacaembu logo após o encerramento do jogo em que o Corinthians venceu o Cruzeiro por 4 a 3, ilustra bem como um jovem volante de 21 anos está se sentindo em sua nova casa e no convívio com seus novos anfitriões. O argentino Javier Alessandro Mascherano está empolgado. E a Fiel está empolgada com ele. Neste domingo, contra o Santos, Mascherano faz apenas o seu quinto jogo com a camisa do Corinthians. Mas parece o 50º, tal a sua adaptação à equipe. Algo até surpreendente. Afinal, veio de outro país, é jovem, ainda está sozinho em São Paulo - deixou a família e a namorada, Fernanda, na Argentina -, encontrou novos companheiros (com exceção do amigo de sete anos Tevez e de Sebá, o outro argentino do grupo) e costumes. "A adaptação do Mascherano foi muito mais rápida do que a gente imaginava. Ele se entrosou rápido com todos os jogadores. Desde o primeiro dia, se sentiu em casa??, elogia o técnico Márcio Bittencourt. E olha que Mascherano chegou num 7 de julho, três dias antes de um clássico contra o Palmeiras. Se fosse outro, ficava de fora. Mas o argentino, com apenas dois treinos, quis estrear. Fez ótima partida e ainda ficou marcado - positivamente - por ter ganho a dividida com Gamarra e iniciado a jogada do terceiro gol corintiano na vitória por 3 a 1. Bastou para cair nas graças da Fiel. "A torcida tem me tratado com muito carinho??, reconhece. Mascherano contribui para esse carinho. Em campo, mostra a técnica, a determinação, a garra e o espírito de liderança que levaram Kia Joorabchian a pagar US$ 15 milhões para tirá-lo do River Plate. Ganha a maioria das bolas que disputa, têm excelente sentido de colocação, erra poucos passes e, apesar de não ser sua função principal, demonstra eficiência na armação.A conseqüência é que Mascherano tornou-se rapidamente um líder no Corinthians. Uma liderança que não queria. "Não penso nisso. Eu sempre jogo com determinação, responsabilidade. Meu objetivo é fazer que o Corinthians melhore cada vez mais. É por isso que estou aqui??, já deixou claro. Acontece que o argentino tem uma liderança natural. "Está nele. Ele trata bem todo mundo, jamais levanta o tom de voz, cobra quando tem de cobrar, elogia quando tem de elogiar. Não é sério demais, nem brincalhão demais??, define um profissional que trabalha com os jogadores do Corinthians.Só uma coisa irrita Mascherano: ser considerado um jogador violento. No River, ele exagerava nos carrinhos, mas no Corinthians dois dos três cartões amarelos que recebeu em seus três primeiros jogos foram por reclamação. "Jogo firme, mas não sou maldoso??, diz. Quanto ao jeito "reclamão??, prometeu esforço para mudar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.