Alessandro Garofalo/Reuters
Alessandro Garofalo/Reuters

Javier Zanetti diz que elegeria Simeone o melhor técnico do ano

Argentino aponta que ex-companheiro na seleção nacional 'sempre foi um técnico dentro de campo' e merece ficar com o prêmio da Fifa

Estadão Conteúdo

10 de dezembro de 2014 | 10h05

Carlo Ancelotti levou o Real Madrid a um histórico décimo título da Liga dos Campeões, enquanto Joachim Löw dirigiu a Alemanha que se consagrou tetracampeã do mundo na Copa de 2014. Mas, para o argentino Javier Zanetti, quem merece ficar com o prêmio de melhor técnico do ano, a ser entregue pela Fifa no próximo dia 12 de janeiro, é o seu compatriota Diego Simeone, que na temporada passada do futebol europeu conduziu o Atlético de Madrid ao título do Campeonato Espanhol e ao vice-campeonato europeu.

Jogador que mais vezes vestiu a camisa da seleção argentina, com 145 jogos disputados em 17 anos atuando pelo país, Zanetti ressaltou que Simeone, seu ex-companheiro de time nacional, "sempre foi um técnico dentro de campo". "Não me surpreende o que ele está conquistando, sempre com base em sacrifício e trabalho duro. Em relação ao (Carlo) Ancelotti e ao (Joachim) Löw, o Atlético que ele comanda tem méritos suficientes para permitir que ele leve o grande prêmio", disse o ex-atleta, em entrevista ao site oficial da Fifa, publicada nesta quarta-feira.

Atual vice-presidente da Inter de Milão, clube pelo qual fez história como jogador e se tornou um grande ídolo da torcida, Zanetti também disse acreditar que Lionel Messi pode ser eleito o melhor jogador do mundo de 2014. Ele crê nesta possibilidade mesmo após Cristiano Ronaldo realizar uma Liga dos Campeões espetacular e Manuel Neuer, goleiro alemão que é outro finalista da Bola de Ouro da Fifa, ser decisivo para a Alemanha no Mundial realizado no Brasil.

"Espero que Messi ganhe. Ele é excelente, não para de surpreender. A qualquer momento inventa uma jogada ou alguma coisa espetacular que permite vencer jogos. Para mim, é o melhor jogador do mundo", enfatizou, lembrando também que raramente um jogador de defesa ou um goleiro triunfam na eleição da Fifa. "Os jogadores que atuam do meio de campo para frente são os que fazem a diferença", destacou.

Zanetti, porém, nega que veja Neuer sem chances de ser eleito o Bola de Ouro de 2014. "Estamos falando de três jogadores excelentes, cada um com seu valor. Imagino que a votação vai ser muito acirrada, porque o (goleiro) alemão também tem méritos", comentou o astro argentino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.