Sebastian Granata/Reuters
Sebastian Granata/Reuters

Jean diz que eliminação do São Paulo é dolorida: 'Acabou para mim'

Time do Morumbi sai da Copa Sul-Americana e continua com sua sina de não ganhar disputas de pênaltis em partidas oficiais

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

17 Agosto 2018 | 05h05

O São Paulo continua com sua sina de não ganhar disputas de pênaltis em partidas oficiais. Nos últimos anos, o clube não tem tido sorte e foi eliminado por Corinthians (2013), Penapolense e Atlético Nacional-COL (2014), Cruzeiro (2015), Corinthians e Colón (2018). A última vitória foi sobre o Universitário, do Peru, em 2010, pela Libertadores.

Contra o Colón, na quinta-feira, o São Paulo venceu por 1 a 0 no tempo normal e levou a decisão para as penalidades. Ruíz começou cobrando e marcou. Nenê empatou, Estigarríbia fez 2 a 1 e Reinaldo empatou novamente. Correa bateu com perfeição, assim como Hudson e depois Fritzler. Aí o zagueiro Bruno Alves chutou e o goleiro Burlán defendeu com o pé. Então Ortíz marcou e garantiu a vaga para os argentinos nas oitavas da Copa Sul-Americana.

 

Para o goleiro Jean, que teve a chance de ser titular no lugar de Sidão, a eliminação é dolorida. "Futebol tem dessas coisas. Jogamos melhor, mas nos pênaltis eles tiveram mais eficiência. Dois cobradores a gente conhecia, fui no canto, mas bateram bem. Infelizmente, não deu", comentou.

O jogador lamenta o fato de que dificilmente atuará novamente na temporada, pois o titular Sidão vem sendo o escolhido no Campeonato Brasileiro, único torneio que resta ao São Paulo. "É uma eliminação dolorida para alguns, inclusive para mim, que estava tendo oportunidade na Copa Sul-Americana. Infelizmente, acabou pra mim", disse.

Vale lembrar que na Florida Cup do ano passado, o São Paulo conquistou o título nos pênaltis em cima do rival Corinthians, com grande atuação do goleiro Sidão. Mas o torneio não entra na contagem de partidas oficiais e por isso o jejum de vitórias nas penalidades continua para o time do Morumbi.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.