Jean diz que não vai ?alisar? Evair

O zagueiro Jean, do São Paulo, de 21 anos, vai enfrentar pela primeira vez para valer o veterano atacante Evair, 36 anos, do Coritiba, sábado, em João Pessoa, pelas semifinais da Copa dos Campeões. Sparring do adversário nos tempos em que Evair atuou no clube do Morumbi, no primeiro semestre do ano passado, Jean promete que não vai "alisar" o "velhinho", apesar da diferença da idade. "Não tem moleza, não. Vou encher ele de "porrada", disse brincando o jovem zagueiro, capitão da equipe de juniores do São Paulo que conquistou a Taça São Paulo da categoria no ano passado. "Tenho o maior respeito pelo Evair, que, com sua experiência, sabe usar muito o corpo, e se coloca bem na área." Jean diz que nas vezes em que marcou Evair nos treinos do São Paulo, atuando na equipe reserva tinha dificuldade para tirar a bola do atacante. "Você não pode ir no corpo dele. O Evair protege bem a bola, é forte, e faz o peão para dar o passe ao companheiro", diz o zagueiro sobre o atacante, que marcou nove gols com a camisa do São Paulo: quatro na Copa do Brasil; três no Torneio Rio-São Paulo, e dois no Campeonato Paulista, conquistado pelo time do Morumbi. Além de cuidar da marcação, Jean admite que vai tentar fazer também seu gol, como ocorreu na goleada sobre o Sport por 5 a 0, quarta-feira. Foi o primeiro na equipe principal do São Paullo. "Essa jogada, como elemento surpresa, eu estava tentando há tempo e agora deu certo. Quando recebi do Souza avancei com a bola dominada e surpreendi a defesa adversária", lembra o zagueiro, descoberto pelo São Paulo em Feira de Santana, Bahia. O técnico Nelsinho Baptista não quis antecipar hoje se manterá a equipe da última partida para enfrentar o Coritiba. Ele elogiou a atuação de Souza, que entrara no segundo tempo da partida no lugar de Carlos Miguel. Com Souza em campo, o time fez quatro gols. O técnico está preocupado com a força do Coritiba nos contra-ataques. O atacante França quer consolidar sua posição na sexta colocação entre os maiores artilheiros da história do São Paulo, posição que divide com Leônidas da Silva. Com os dois gols marcados sobre o Sport, França chega a 140. O atacante está de olho nas duas marcas que estão acima: Luisinho, o quinto, com 145 gols, e Müller, o quarto, 158. (Os três primeiros artilheiros do clube são Serginho, 242; Gino Orlando, 232, e Teixeirinha, 184 gols.) França lembra que começou a perseguir essas marcas, depois que o São Paulo começou a publicar uma revista com os principais artilheiros do clube. "Na época, eu estava em oitavo, e já melhorei duas posições", diz o atacante, que lembra ter feito quase todos os tipos de gols, inclusive dois de bicicleta. "Gostaria de fazer um do meio-de-campo, mas acho muito difícil hoje pela marcação que fazem na gente", diz o atacante.

Agencia Estado,

28 de junho de 2001 | 15h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.