Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Jean Mota celebra volta do Santos à Vila Belmiro e diz que pode ser o camisa 10

"A Vila é a nossa casa e a pressão é maior também. Ajuda a gente e desfavorece muito o adversário"

Estadão Conteúdo

23 de abril de 2018 | 16h42

Mais acostumado a jogar no estádio do Pacaembu, em São Paulo, neste ano, o Santos voltará a atuar na Vila Belmiro nesta terça-feira, às 21h30, diante do Estudiantes, da Argentina, pela quarta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. O retorno à casa santista foi comemorado pelo meia Jean Mota.

+ Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

Para o jogador, o estádio centenário, no qual o Santos mandou apenas cinco jogos nesta temporada - todos pelo Campeonato Paulista - é um incômodo a mais para o oponente, que sente a pressão da torcida santista.

"Tive a oportunidade de jogar (a Libertadores na Vila Belmiro) no ano passado. É diferente o clima. É emocionante aquele corredor de fogo. O adversário que vem sente bastante. A Vila é a nossa casa e a pressão é maior também. Ajuda a gente e desfavorece muito o adversário", disse o jogador em entrevista coletiva no CT Rei Pelé, nesta segunda-feira.

Nas últimas partidas, Jean Mota tem jogado na armação do time ao lado de Léo Cittadini. Ele garantiu que se sente bem na posição e pode ser o camisa 10 da equipe do técnico Jair Ventura.

"Posso sim ser o camisa 10. O Cittadini também faz esta função quando fico com o Alison e eu faço quando o Cittadini fica com o Alison", afirmou o jogador, que diz não se preocupar com a procura da diretoria no mercado por um armador. "Claro que todo reforço é sempre bem-vindo para compor elenco e buscar título, mas dentro do nosso elenco tem jogadores de qualidade".

Jean Mota lamentou a lesão do atacante Bruno Henrique, que após voltar a jogar depois de mais de três meses afastado, ficará pelo menos mais três semanas parado por conta de um problema muscular. "Não tive contato com ele ainda. Fiquei sabendo agora que ele vai ficar cerca de três semanas fora. É uma perda muito grande, fez falta neste começo do ano. Espero que a cabeça dele esteja boa porque é difícil o momento que ele vem passando", lamentou.

No último sábado, o time santista, que havia estreado com vitória no Brasileirão, fez uma partida irregular contra o Bahia e foi derrotado por 1 a 0 em Salvador. Apesar do mau resultado, o meia considera que a equipe não está oscilando.

"Não tem oscilação. Acho que o time tem um padrão imposto pelo Jair. Lá (na Bahia) o jogo foi difícil e eles pressionaram muito. Mas não vejo o Santos oscilando, só não conseguimos impor nosso ritmo nesse último jogo", avaliou. Jean Mota e seus companheiros treinam nesta segunda-feira no CT Rei Pelé pela última vez antes do duelo contra o Estudiantes.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos Futebol ClubeJean Mota

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.