Jejum na seleção foi pior fase da carreira, diz Benzema

Aos 25 anos, o atacante Benzema pode celebrar o fim do que ele mesmo definiu como "pior fase da carreira" até agora. O jogador do Real Madrid deixou sua marca na goleada da França sobre a Austrália, em amistoso realizado na última sexta, e na vitória sobre a Finlândia, na terça, pelas Eliminatórias, encerrando um jejum de 15 partidas sem gols com a camisa da seleção.

AE, Agência Estado

16 de outubro de 2013 | 09h13

"Foram dez bons dias para a equipe da França e para mim, porque todo mundo já me tinha como um alvo, como é habitual. Venho de viver a pior fase de minha jovem carreira, mas sempre tive confiança em mim. Nunca me rendi e nunca vou me render", declarou o atacante.

O longo período sem gols fez com que Benzema acabasse indo para o banco da seleção, sendo substituído por Giroud. A relação do atacante com a torcida francesa também parece ter piorado. Diante da Finlândia foi possível ouvir algumas vaias quando ele entrou em campo, justamente na vaga de Giroud.

Benzema, no entanto, despistou, disse sequer ter ouvido a manifestação da torcida e preferiu exaltar seu desempenho. "Não reparei nisto. Tive a sorte de marcar o gol e as pessoas estavam felizes. O importante foi fazer uma boa partida."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolseleção francesaBenzema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.