Rafael Ribeiro / Vasco
Rafael Ribeiro / Vasco

Jejum no Brasileirão faz Vasco ampliar discurso de foco na luta contra a degola

Equipe freia empolgação por Libertadores e volta a pensar em escapar da 'zona da confusão'

Redação, Estadão Conteúdo

07 de novembro de 2019 | 12h07

O sonho de voltar a disputar a Copa Libertadores ficou definitivamente para trás no Vasco. Após completar o quarto jogo seguido sem vitória, com a derrota por 2 a 1 para o Palmeiras, quarta-feira, em São Januário, o clube reforçou o discurso de que o foco é apenas somar os pontos necessários para evitar o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

O Vasco emplacou o seu melhor momento no torneio entre a 25ª e a 27ª rodadas, ao vencer três jogos seguidos, diante de Fortaleza, Botafogo e Internacional, o que levou o torcedor, o elenco e o técnico Vanderlei Luxemburgo a acalentarem a conquista de uma vaga na Libertadores.

Mas ficou nisso, afinal, o time somou apenas dois pontos em seus últimos quatro duelos. Com 39, está na 12ª posição, a sete rodadas do fim. E a preocupação agora é, de novo, seguir na primeira divisão.

"Tivemos uma sequência boa de vitórias e falaram bem. Não me assusta. Temos os jogos necessários para sair da confusão. Nunca falei que meu time era para outra competição. Nossa competição é diferente. Não adianta insistir", disse Luxemburgo.

Com Leandro Castán expulso por reclamação e a insatisfação pelo gol de Luiz Adriano para o Palmeiras, com protestos por suposta falta do atacante em Danilo Barcelos, o duelo foi mais um em que o Vasco voltou a criticar o trabalho dos árbitros.

"Hoje gostei da equipe, da maneira como jogou. Forte, dura, contra um adversário difícil. Os lances que o Vasco tem sido prejudicado são lances importantes. O Vasco perdeu muitos pontos por causa da arbitragem", concluiu o treinador.

Em busca da reabilitação, o Vasco voltará a jogar pelo Brasileirão no domingo, quando vai visitar o CSA, no Rei Pelé, pela 32ª rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.