Jerri luta por seu espaço no Santos

Parecia entrosamento de titulares: a bola foi cruzada da esquerda, Elano e Alex deixaram passar para Jerri, que estava em posição melhor, marcar o segundo gol santista, que abriu o caminho da vitória por 3 a 1 sobre o Vitória. "Eu estava bem posicionado e pedi para eles deixarem e consegui marcar", comentou Jerri, meia que luta por uma posição no time que tem Diego como titular absoluto. Além da alegria de ter colocado o time em vantagem, Jerri teve uma outra sensação naquele momento, de alívio. É que havia perdido a bola no meio do campo, erro que originou a jogada de gol do Vitória. "Foi mesmo um alívio, pois se o Santos tivesse perdido, eu seria apontado como o culpado". Todos achavam que ele seria o substituto de Diego naquele jogo, mas Leão optou por recuar Fabiano e escalar o centroavante William. "O Jerri vinha de contusão, não tinha participado de coletivo e resolvi não forçar", disse o técnico. Mas com a fraca atuação de William, que ficou muito fixo na frente e com a falta de criatividade do meio-de-campo, o treinador resolveu colocar o meia-ofensivo. "Coloquei um jogador muito mais baixo, mas muito criativo, e o Fabiano se adiantou, abrindo espaço para Robinho e Elano trabalharem". Foi com essa mudança que o Santos conseguiu virar o jogo. Por conta de sua atuação, Jerri foi o jogador mais procurado pelos repórteres mas, realista, sabe que ainda tem um longo trabalho pela frente para chegar à condição de titular num time em que é reserva de Diego, uma das estrelas maiores santistas. Por isso, mais uma vez voltará ao banco de reservas no jogo de domingo contra a Ponte Preta, já que Diego volta de suspensão. "Subi este ano e quero ser titular, mas sou reserva de um jogador da seleção brasileira e isso é muito bom". Não quero estacionar nessa condição. "Foi importante para mim conseguir o espaço que tenho hoje e vou continuar trabalhando para conquistar meu espaço na equipe".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.