Jerry: "Eles não vão ter moleza"

A mão direita dá pequenos murros na palma da mão esquerda. E vice-versa. Depois, as duas se unem e os dedos são estalados. Jerry está nervoso diante de quatro microfones, cinco gravadores e não sabendo para qual das cinco câmeras de televisão deve olhar.A voz é baixinha, quase inaudível, mas o recado é duro. ?Eles não vão ter mole, não. Não é porque estamos com quatro reservas que o jogo vai ser fácil. O Bahia pensou assim e perdeu de quatro", diz o jogador, que, de desconhecido havia dez dias, transformou-se na atração desse novo Santos, após os gols marcados contra Bahia e Coritiba.Leia mais no Jornal da Tarde

Agencia Estado,

09 de julho de 2003 | 09h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.