Nelson Almeida/AFP
Nelson Almeida/AFP

Jesualdo defende permanência de Lucas Veríssimo: 'Se sair é uma perda grande'

Autor do gol do Santos na vitória por 1 a 0 sobre o Delfín, zagueiro desperta o interesse do Atlético-MG

Redação, Estadão Conteúdo

11 de março de 2020 | 07h30

Se depender apenas da vontade do técnico Jesualdo Ferreira, o zagueiro Lucas Veríssimo não será negociado pelo Santos. Após o jogo com o Delfín, quando fez o gol da vitória por 1 a 0, o jogador cobrou publicamente uma valorização do presidente José Carlos Peres diante do interesse de Jorge Sampaoli em levá-lo para o Atlético Mineiro.

"A questão que o Lucas colocou publicamente terá de ser resolvida e eu espero que seja resolvida favoravelmente à permanência", afirmou o português. "O treinador só dá opinião e faz força para qualquer coisa. E isso eu farei", completou.

Lucas Veríssimo é titular absoluto do Santos. Além dele, Jesualdo tem outros três zagueiros à disposição: Luan Peres, Luiz Felipe e Felipe Aguilar. "Acho que se sair é uma perda muito grande", avaliou.

Em relação ao jogo contra o Delfín, o treinador reconheceu que o desempenho ficou aquém do que o Santos fez nas vitórias sobre o Defensa Y Justicia e Mirassol. "Não foi um jogo fácil. Não atingimos um nível dos últimos jogos. Claramente houve uma pressão muito grande pela responsabilidade do jogo. Eles estiveram muito mais à vontade na Argentina, e tinha de ser ao contrário", disse Jesualdo, citando o confronto de estreia na Libertadores.

O treinador citou ainda o fato de o time ter de atuar sem torcida na Vila Belmiro. O jogo com o Delfín foi o segundo (e último) da punição imposta ao Santos em 2018, quando o time foi eliminado nas oitavas de final da Libertadores em confronto com o Independiente, da Argentina, no Pacaembu. A partida foi encerrada antes do fim do tempo regulamentar por causa de uma confusão provocada pelos torcedores.

"Curiosamente jogar sem público não é bom. Também tive oportunidade de dizer que para os adversários é um campo neutro. Achei que o time nunca foi capaz de ter o jogo controlado", afirmou o português.

Jesualdo, no entanto, fez questão de lembrar que, mesmo sem jogar bem, o Santos está na liderança do grupo na Libertadores. A situação também se repete no Campeonato Paulista. O próximo compromisso da equipe será o clássico com o São Paulo, sábado, no Morumbi. "O Santos lidera o grupo no Paulista e na Libertadores. Isso que acho que é importante valorizar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.