Amr Abdallah Dalsh/Reuters
Amr Abdallah Dalsh/Reuters

Jesualdo Ferreira exalta o Santos de Pelé e sabe que terá pré-temporada curta

Treinador português se despediu do trabalho de comentarista em Portugal para assumir o comando da equipe alvinegra

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2019 | 22h45

Há uma semana de desembarcar no Brasil, ser apresentado oficialmente e começar efetivamente a trabalhar no Santos, o técnico Jesualdo Ferreira, de 73 anos, se despediu nesta sexta-feira de seu trabalho como comentarista do programa "Futebol a sério" no Canal 11, de Portugal. Emocionado com as homenagens que recebeu, não deixou de exaltar a história do clube que vai comandar em 2020.

"A primeira grande referência que tive do futebol brasileiro foi o Santos. Em 1962, eu ainda era novo, mas lembro que o Santos enfrentou o Benfica. Nunca mais esqueço daquele time do Santos com Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe", disse Jesualdo Ferreira sobre a disputa do Mundial Interclubes daquele ano, vencido pelo time brasileiro.

"Acompanhei Benfica e Santos na Luz (estádio do Benfica). Felizmente, pude acompanhar uma coisa que nunca tinha visto na vida, que era um senhor chamado Edson Arantes do Nascimento, o Pelé. Logo ali, o Santos tornou-se o meu clube no Brasil", acrescentou o português.

O treinador demonstrou empolgação com a possibilidade de comandar o Santos na Vila Belmiro. Segundo Jesualdo Ferreira, um lugar que mantém a identidade alvinegra há décadas. "É impressionante como aquele clube tem o mesmo estádio há 60 anos, pequeno e com capacidade para cerca de 20 mil pessoas. Ali jogou o Pelé. Estou falando de identidade. Identidade não pode ser alterada porque momentaneamente o 'negócio' (dinheiro) tomou conta de tudo".

Sobre o time, o treinador sabe que terá muito trabalho pela frente. Ainda mais com uma pré-temporada curta em janeiro. " Vai começar a temporada no dia 10, ou 8, e vai jogar 22. Temos jogos de quatro em quatro dias, mais ou menos isso. Para dar o salto para a Libertadores, em março, depois Copa (do Brasil) e Brasileirão. A pergunta que fica é essa. Tem 10 dias para o primeiro jogo, depois não para mais. Como vai ser o processo preparatório desta equipe? Depois vou te dizer qual é a minha ideia", afirmou.

Apreciador do esquema 4-3-3, o treinador admitiu que inicialmente tem a intenção de colocá-lo em prática. Contudo, tudo estará relacionado ao perfil dos atletas. "É um sistema que controla melhor os espaços. Quero mantê-lo no Santos. Porém, para colocar o meu 4-3-3, preciso ter jogadores que consigam interpretar o que eu quero", comentou Jesualdo Ferreira.

Vendo jogos do time comandado pelo argentino Jorge Sampoli, o português já começou a estudar os futuros comandados e revelou que as características de Soteldo, Marinho e Eduardo Sasha podem fazer a sua filosofia encaixar rapidamente.

"Se efetivamente os três jogadores da frente forem dois extremos puros e um centroavante, não será o ideal. Por que não é o ideal? Para mim, os três da frente precisam ser atacantes que saibam jogar fora e também dentro da área. Exemplos: Lisandro López e Ricardo Quaresma. Do que vi do Santos do Sampaoli, o time tem três atacantes muito rápidos, fortes e com mobilidade. Logo, vai ser mais fácil para que as minhas ideias entrem rapidamente", completou.

Para Entender

Mercado da Bola

Veja as principais negociações do futebol brasileiro. Clubes se movimentam para tentar se reforçar visando a próxima temporada

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.