Ivan Storti/Santos
Ivan Storti/Santos

Jesualdo reclama do horário do clássico e do tempo curto de recuperação

Equipe de Vila Belmiro visita o Corinthians domingo, às 11h, em Itaquera, depois de jogar na quinta à noite

Redação, Estadão Conteúdo

31 de janeiro de 2020 | 07h08

O técnico Jesualdo Ferreira comanda o Santos em seu primeiro clássico neste domingo. A equipe da Vila Belmiro visita o Corinthians, às 11h, em Itaquera. O horário da partida pela quarta rodada do Campeonato Paulista e, principalmente, o tempo de recuperação da equipe foram criticados pelo treinador português.

"É um clássico, jogo complicado. O tempo de recuperação é curto, terceiro jogo de segunda até domingo. É difícil principalmente nesta altura da temporada. O horário, com temperatura elevada, não parece bom para o espetáculo, para os jogadores desempenharem bem. Mas é assim no Brasil. Vamos lá com intenção de fazer um bom jogo e ganhar. Não podemos entrar em nenhum jogo sem pensar que temos capacidade para ganhar", afirmou o português.

Por causa do calendário apertado, Jesualdo poupou alguns jogadores na vitória diante da Inter de Limeira, quinta-feira, por 2 a 0. Carlos Sánchez e Alison, por exemplo, começaram no banco e só entraram no segundo tempo da partida na Vila. O Santos já havia atuado na segunda-feira, contra o Guarani, em Campinas.

"A estratégia foi justamente essa, ficou claro, foi possível observar alguns jogadores. As coisas correram bem. O que acontece é que o time começa a pegar alguns conceitos", afirmou o treinador. Apesar de aprovar o desempenho na segunda vitória no Paulistão, Jesualdo ainda vê um longo caminho que o Santos precisa percorrer. "O grande trabalho que vamos fazer, isso é impossível esconder, não é defensivo, mas o de recuperação rápida da bola. A equipe tem alguma dificuldade a reagir a esse momento do jogo. É uma lacuna importante", comentou.

A recuperação rápida de bola era a principal característica da equipe no ano passado, sob o comando do técnico Jorge Sampaoli. Com Jesualdo, o time conseguiu ter um desempenho positivo neste aspecto apenas no primeiro tempo diante da Inter de Limeira. "Nós perdemos o controle do jogo porque nos momentos certos não somos capazes de acelerar esse processo. Evidentemente sabendo que ainda não foram suficientemente ajustados os processos ofensivos, por falta de jogadores, de tempo e de treinamentos", afirmou o português.

Jesualdo diz que precisa de tempo para treinar. O Santos terá duas semanas com apenas um jogo após o clássico com o Corinthians. "Os próprios jogadores não conhecem os limites que têm, são as ocasiões que dizem quando somos capazes de mais. Há muitos jogadores aqui que não acreditam que são capazes de ir para além daquilo que são capazes de fazer nesse momento, e acho que são, que eles têm essa capacidade. A equipe é capaz de fazer metade do que é importante, a outra metade ainda virá no futuro".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.