Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

No duelo dos 'deuses', Jô critica Maicon e chama Arana de 'God of Cross'

Atacante vira 'God of Clássicos' e cria apelido para companheiro do Corinthians

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2017 | 12h26

Menos de 24 horas depois do clássico com o São Paulo, o elenco do Corinthians se reapresentou nesta segunda-feira e, como não podia deixar de ser, o assunto ainda foi a partida que terminou em 1 a 1. O fato de ter marcado gol nos três clássicos disputados pela equipe nesta temporada fez com que o atacante Jô ganhasse um novo apelido, que ele não quis aceitar, mas entrou na brincadeira. E, com uma certa dose de ironia, brincou com o zagueiro Maicon e criou um novo apelido para seu companheiro Guilherme Arana.


Durante a entrevista coletiva de Jô e Arana, o atacante foi perguntado sobre o apelido criado nas redes sociais de "God of Clássicos" (Deus dos clássicos), fazendo referência ao "God of Zaga" (Deus da zaga), pelo qual o zagueiro Maicon é chamado pelos são-paulinos. "Está pesado. Deus tem um só. Não posso carregar esse peso. Deixo para a torcida e para a imprensa. Só não quero puxar isso para mim. Eu sei que tenho que trabalhar bem para fazer o meu trabalho", disse Jô.

Ao ser questionado sobre a existência do "God of Zaga", o atacante respondeu. "Vocês são demais (risos). Sou atacante, tenho de fazer gols e não posso escolher contra quem. Então o Arana tem de ser chamado de 'God of Cross' (Deus do cruzamento)", respondeu, sorrindo logo em seguida.


Um fato marcante na partida deste domingo aconteceu após Maicon abrir o placar no Morumbi. Na comemoração, o zagueiro são-paulino agitou os braços como imitasse uma galinha, lembrando o apelido pejorativo que os rivais chamam os corintianos. Embora alguns torcedores e até jogadores entendam que as brincadeiras e provocações não podem ser vetadas, Jô prefere adotar uma postura mais séria.


"Eu sou da tese de ter que ter respeito. Na hora da euforia, você acaba caindo em algumas provocações, mas respeito quem faz. São coisas do futebol. Rivalidade faz com que algumas pessoas queiram fazer coisas para a torcida. Acho que faltou respeito (do Maicon), mas é coisa de clássico", opinou.


Jô viveu um dia especial nesta segunda-feira. Afinal de contas, os três gols marcados pelo Corinthians nos clássicos contra Palmeiras, Santos e São Paulo foram feitos por ele. "Isso é bom. Clássico é quando as torcidas ficam mais animadas e tem a zoação da internet. Ser protagonista dos três clássicos é algo marcante, mas não é só isso que a gente tinha como objetivo. O objetivo era a classificação e conseguimos", comemorou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.