Gabriel Biló/Estadão
Gabriel Biló/Estadão

Jô confirma fama de 'rei dos clássicos' e Corinthians está na decisão do Paulista

Rivais ficam no 1 a 1 e time alvinegro vai decidir o título com a Ponte Preta

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

23 de abril de 2017 | 17h57

Dizer que Jô marcou um gol em clássico  se tornou algo tão comum quanto ver o time alvinegro derrotando o São Paulo em mata-mata. A última vez que ocorreu o inverso foi em 2000. Com essa sequência, quase que rotineira, o Corinthians empatou por 1 a 1 com o rival e vai para a decisão do Campeonato Paulista contra a Ponte Preta - a final dos sonhos para muitos torcedores saudosistas, reeditando a histórica decisão de 1977.

Jô conseguiu a incrível marca de fazer cinco gols em cinco clássicos. Balançou as redes de São Paulo (três vezes), Palmeiras e Santos. O jogador ainda se envolveu mais uma vez em polêmica. Desta vez, seu gol causou revolta no adversário, por uma suposta irregularidade. 

No primeiro jogo da semifinal, o atacante escapou de receber um cartão e ficar fora da partida na arena graças a Rodrigo Caio, que admitiu ter cometido uma infração ao invés do corintiano. Neste domingo, não teve nada de fair play, pelo contrário. Nos minutos finais, com os ânimos aflorados, sobraram pancadas de todos os lados.

Ciente da necessidade de sufocar o adversário e marcar gols, Rogério Ceni escalou o São Paulo bastante ofensivo, com Gilberto, Pratto e Cueva. O Corinthians, que estreou o novo uniforme neste domingo diante de mais de 43 mil torcedores, cumpriu o prometido por Fábio Carille e marcou a saída de bola do rival, transformando o clássico em um bom jogo. Poderia ter sido ainda melhor se as equipes tivessem chutado mais ao gol.

O São Paulo, com dois atacantes altos, tinha como única jogada os cruzamentos de Wesley para a área. Quase sempre não dava em nada. A equipe quase não chutava ao gol de Cássio. O Corinthians jogava no contra-ataque e foi assim que conseguiu ter mais oportunidades. Romero chegou a acertar um chute na trave, antes do lance mais polêmico da partida.

Romero deu um pisão em Maicon, que ficou caído no gramado enquanto os jogadores do Corinthians tentavam chegar ao ataque. Na sequência do lance, o árbitro deu falta favorável ao time alvinegro, que bateu para a área e Jô desviou para o gol em posição duvidosa. O auxiliar Alex Ang Ribeiro ficou parado, claramente sem saber se validaria o gol ou não. Enquanto isso, os corintianos comemoravam e os são-paulinos reclamam e muito. Em vão.

A etapa final foi basicamente de um São Paulo desorganizado e disposto a arrumar confusão. Thiago Mendes foi expulso, mas outros poderiam ter tido o mesmo destino. Aos 38, Pratto ainda conseguiu marcar um gol, que não adiantou de nada. O Corinthians está na final e vai decidir o título em casa, justamente na partida de número 100 do clube na arena. Ao São Paulo, só resta juntar os cacos após a segunda eliminação em menos de uma semana e aproveitar as semanas sem jogos para se reerguer. 

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Pablo, Balbuena e Guilherme Arana (Moisés); Gabriel, Maycon, Rodriguinho, Jadson e Romero (Léo Jabá); Jô (Kazim). Técnico: Fábio Carille.

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Wesley, Rodrigo Caio, Maicon e Junior Tavares (Luiz Araújo); Jucilei, Thiago Mendes e Cícero; Cueva (Thomaz), Lucas Pratto e Gilberto (Chávez). Técnico: Rogério Ceni.

Gols: Jô, aos 46 minutos do primeiro tempo, e Pratto, aos 38 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza.

Cartões amarelos: Rodriguinho, Guilherme Arana, Thiago Mendes, Léo Jabá, Wesley, Chávez, Jadson.

Cartão vermelho: Thiago Mendes.

Público: 43.008 pagantes.

Renda: R$ 2.667.936,30.

Local: Arena Corinthians, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.