Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians e Mailson Santana/Fluminense FC
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians e Mailson Santana/Fluminense FC

Jô e Henrique Dourado fazem duelo de artilheiros na arena

Atacantes disputam o posto de goleador do Campeonato Brasileiro

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

15 Novembro 2017 | 07h08

Além da possibilidade do Corinthians garantir o título do Campeonato Brasileiro sobre o Fluminense, outro destaque da partida que será realizada nesta quarta-feira, às 21h45, é o fato do jogo colocar frente a frente os dois artilheiros do torneio, Jô e Henrique Dourado. Ao corintiano, uma motivação especial: ser o primeiro jogador a conquistar a artilharia do Brasileiro com a camisa alvinegra.

+ Corinthians enfrenta o Fluminense para confirmar o título na arena

Hoje, a diferença entre os atacantes é de apenas um gol a favor do jogador do Fluminense, restando quatro rodadas para o término da competição. Uma coincidência entre ambos é que eles voltam ao time justamente nesta quarta-feira, após cumprirem suspensão no jogo passado.

Com 30 anos, Jô deu a volta por cima no Corinthians e sempre deixou claro que sua prioridade era ajudar o Corinthians na luta pelo título, mas esperava brigar pela artilharia do Brasileiro. A boa fase com a camisa alvinegra fez até com que ele sonhasse voltar a defender a seleção brasileira, mas, por enquanto, o técnico Tite ainda não lhe deu uma oportunidade. O atacante fez parte da seleção que disputou a Copa em 2014.

+ Próximo do título, Carille lembra conselho da mãe: 'Para que vai pegar isso?'

Após passagens por diversos clubes, Jô retornou ao Corinthians e vê-lo na disputa pela artilharia do Brasileiro e sendo um dos protagonistas da campanha da equipe na temporada são motivos de orgulho para Carille.

“Quando o Jô foi anunciado, tive o cuidado de sair atrás de informações e, infelizmente, liguei para Porto Alegre e Belo Horizonte para perguntar dele. Quase desisto de ser técnico do Corinthians, mas nos últimos três anos ele mudou e isso se deve muito ao Caio Júnior, que o ajudou quando ele foi jogar no Catar. E quando eu vi o Jô na Flórida (durante a Florida Cup) eu vi que ele estava diferente. Desconfiar de mim, que cheguei agora, entendo, mas desconfiar de quem foi para uma Copa do Mundo e jogou no Manchester City eu acho um pouco demais. Ele ainda me ajuda bastante a controlar o ânimo dos mais jovens”, contou o treinador.

Jô já terminou o Brasileiro como artilheiro do Corinthians, mas ficou longe do goleador do campeonato. Em 2004, quando ainda despontava para o futebol, ele foi o corintiano que mais marcou gols no Brasileiro daquele ano. Entretanto, o artilheiro da competição foi Washington, do Atlético-PR, com 34 gols.

 

Mais conteúdo sobre:
Fluminense Corinthians Henrique Dourado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.