Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Jô marca no fim e dá vitória ao Corinthians em clássico contra o Palmeiras

Alvinegro chega ao triunfo mesmo com um a menos desde o fim do primeiro tempo, após expulsão equivocada de Gabriel

Ciro Campos e Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

22 Fevereiro 2017 | 23h58

A vitória do Corinthians nesta quarta-feira, em sua arena, é daquelas para o torcedor se orgulhar e colocar entre os jogos mais marcantes da centenária história contra o Palmeiras. Taticamente, o jogo foi fraquíssimo, mas não faltou emoção, muito graças a um erro grosseiro do trio de arbitragem e da estrela de Jô, o garoto do terrão que deixou o banco de reservas para garantir a festa dos corintianos.

O clássico tinha tudo para ficar marcado pelo erro grosseiro do árbitro Thiago Duarte Peixoto, mas Jô tratou de fazer justiça e fez com que, no pouco de futebol protagonizado pelas duas equipes, vencesse quem mostrou um pouco mais.

Antes da alegria corintiana e decepção alviverde, a polêmica. Aos 45 minutos do primeiro tempo, Thiago Duarte Peixoto, conhecido por se envolver em diversas polêmicas ao longo da carreira - Atlético-PR, Vasco e São Paulo já protestaram contra ele -, viu Gabriel puxar Keno e lhe deu o segundo cartão amarelo erroneamente. Quem estava no lance era Maycon. Revolta geral na arena, desentendimento entre dirigentes e jogadores e o clima era de muita tensão.

Precavido, Eduardo Baptista tirou Raphael Veiga no intervalo e pouco depois, Felipe Melo. Ambos haviam recebido cartão amarelo no primeiro tempo e o treinador sabia que o árbitro poderia tentar compensar o erro. Claramente nervosos, talvez pela desconfiança que rondava as equipes, o que se viu na arena foi um show de pancadaria, discussões e um clima de muita tensão no ar do início ao fim.

Taticamente, o que mais chamou a atenção foi a marcação sob pressão do Corinthians, que pegou o Palmeiras de surpresa. O time alvinegro foi melhor no primeiro tempo, mesmo sem conseguir uma grande oportunidade de abrir o placar. Na segunda etapa, sem seu principal marcador, o time da casa se fechou e só a equipe alviverde jogou.

Ainda com o árbitro engasgado, os corintianos jogaram contra o relógio e esperaram para garantir pelo menos um empate, mas brilhou a estrela de Jô. Ele havia acabado de entrar no lugar de Kazim. Maycon aproveitou erro de Guerra, tocou para o atacante, que bateu na saída de Prass e fez a arena “explodir” novamente.

Desta vez, não por raiva contra o árbitro, mas sim pela alegria de ver que mesmo, com o erro da arbitragem, a equipe alvinegra deixou de lado o sentimento de injustiça e correu atrás do resultado. E saiu dos pés de Jô, justamente aquele que foi vaiado constantemente nos últimos jogos.

No fim, Carille passou pelo primeiro grande teste no comando do Corinthians e respira aliviado. Ao contrário de Eduardo Baptista, que será ainda mais cobrado por perder para o rival com um jogador a mais.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 x 0 PALMEIRAS

CORINTHIANS: Cássio; Fágner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel; Romero (Paulo Roberto), Maycon, Rodriguinho e Léo Jabá (Moisés); Kazim (Jô). Técnico: Fábio Carille.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; Felipe Melo (Thiago Santos); Keno, Michel Bastos, Raphael Veiga (Guerra) e Dudu; Willian (Alecsandro). Técnico: Eduardo Baptista.

Gol: Jô, aos 42 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Thiago Duarte Peixoto.

Cartões amarelos: Felipe Melo, Raphael Veiga, Gabriel, Jean, Vitor Hugo, Jô, Alecsandro.

Cartão vermelho: Gabriel.

Público: 30.727 pagantes.

Renda: R$ 1.535.887,00.

Local: Arena Corinthians, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.