Reprodução/ Instagram
Reprodução/ Instagram

Jô Soares dá 'puxão de orelha' em Galvão Bueno por elogios exagerados para a seleção

Narrador participou do "Programa do Jô" na última terça-feira

O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2016 | 11h26

Em sua última temporada do "Programa do Jô", o apresentador recebeu na noite de terça-feira, Galvão Bueno. Entre os diversos assuntos debatidos, Jô alfinetou o narrador, por "elogiar demais" os técnicos da seleção brasileira, principalmente Dunga.

"Você não receia ter que se desdizer, já que você elogia tanto qualquer um que seja nosso técnico? Por exemplo, o Dunga você cansou de dizer que ele como jogador era um símbolo", disse o comandante da atração.

Contratado após o fracasso na Copa do Mundo de 2014, Dunga dirigiu o Brasil em 26 partidas, com 18 vitórias, cinco empates e três derrotas, em sua segunda passagem. Eliminado pelo Paraguai nas quartas de final da Copa América de 2015, deixou o Brasil na sexta colocação das Eliminatórias Sul-Americanas.

Sem gostar do que ouviu, o narrador se defendeu e comparou o antigo técnico da seleção, ao atual. "Não, você não me viu fazer tantos elogios assim ao Dunga. Acho que ele tem uma mania de perseguição, que estão o perseguindo. Por exemplo, terminava uma coletiva, ele levantava e ia embora, o Tite fica conversando com as pessoas. Os jogadores são basicamente os mesmos, mas percebe-se que jogam hoje com muito mais alegria, então eu não elogio todos os técnicos. Torço muito para a seleção, mas eu dou cada pancada", comentou.

Ouro nos Jogos Olímpicos do Rio, a equipe brasileira passou por um período conturbado quando empatou as duas primeiras partidas da fase de grupos. Na época, o fraco desempenho resultou em críticas de Galvão, que revelou: "Tem um monte de jogador que não tá nem falando comigo porque bati forte. Nós íamos para o fundo do poço", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.