Jô tem despedida melancólica em casa

Jô teve uma despedida melancólica, neste domingo, do Corinthians. Não era para ser assim, sobretudo pelo gol feito no primeiro tempo. Mas o atacante corintiano, diga-se um menino de 18 anos que foi colocado na fogueira em 2003 quando o time mais precisou, foi apontado pela torcida como um dos responsáveis pelo empate de 3 a 3 com o Botafogo, no Pacaembu. Jô perdeu pelo menos três gols feitos. Levou o torcedor ao desânimo, e mais do que nunca agradecido pela sua negociação com o Benfica por cerca de US$ 5 milhões. Um grupo empresarial com as iniciais GSI comprou o jogador e o negociou com o clube português. A transação, muito adiantada, deverá ser sacramentada nesta segunda-feira no Parque São Jorge. Mas Jô saiu mesmo pelas portas do fundo no Corinthians. Com 7 gols na temporada e 18 na carreira, mais desagradou que agradou enquanto esteve no comando do ataque corintiano. Sentiu-se derrotado com o empate em casa, que tirou o time da liderança do Brasileiro. "Queria que não fosse dessa maneira, mas esse empate teve sabor de derrota para mim, sobretudo porque vencíamos o Botafogo por 2 a 0. Queria muito ter vencido minha última partida no clube", comentou, ainda no campo e ouvindo as vaias da torcida. "Mais uma vez deu bobeira dentro de casa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.