Felipe Rau / Estadão Conteúdo
Felipe Rau / Estadão Conteúdo

Jô vai ao CT, justifica saída e se despede do Corinthians: 'É um até breve'

Atacante diz que pensou na família ao aceitar proposta para ir jogar no Japão, país de primeiro mundo

Estadão Conteúdo

05 Janeiro 2018 | 13h14

Destaque do Corinthians na campanha do título brasileiro em 2017, o atacante Jô se despediu do clube nesta sexta-feira. O jogador visitou o CT Joaquim Grava, conversou com os jogadores e concedeu entrevista coletiva para dar suas últimas declarações como atleta corintiano. Pelo menos momentaneamente, já que ele próprio tratou esta despedida como um "até breve".

+ Corinthians viajará aos Estados Unidos com elenco em transição

+ Reforço do Corinthians, Júnior Dutra revela presença no Mundial de Clubes

"Minha história no Corinthians não começou agora, foi lá atrás, com várias pessoas, o presidente. Tenho de agradecer a todos. Se eu tiver de lembrar de todo mundo, é uma porrada de nomes. Agradeço a deus por ter me dado essa oportunidade em um momento tão difícil da carreira. Foi tudo um pouco rápido, talvez alguns imaginassem que seria mais longo. Mas o futebol é assim, dinâmico. Isso é um 'até breve'", garantiu.

Artilheiro do último Brasileirão com 18 gols, ao lado de Henrique Dourado, do Fluminense, Jô atraiu a atenção do Nagoya Grampus. O time japonês realizou uma proposta de 11 milhões de euros (aproximadamente R$ 43 milhões), considerada irrecusável pela diretoria corintiana. O próprio atacante, aliás, enalteceu que a oferta foi positiva para ambos os lados.

"O Japão é um país de primeiro mundo. Então, começo a pensar na família, no meu filho que nasceu agora, na segurança, educação. Acabou chegando uma proposta irrecusável, tanto para mim quanto para o Corinthians. Agradou as duas partes, não tive como recusar. Vou ficar triste por deixar o Corinthians, mas o futebol é assim", comentou.

O presidente corintiano, Roberto de Andrade, revelou que Jô chegou a recusar uma proposta que não seria tão benéfica ao clube. "No meio do ano, o Jô recebeu proposta para ser transferido a um clube europeu, com salário muito maior do que ele vai ter no novo clube dele. Para o clube, não era uma proposta tão vantajosa. Só comento isso para mostrar o caráter que o Jô tem. Não é todo mundo que pensa dessa forma."

Esta foi a segunda passagem de Jô pelo Corinthians, mas sem dúvida a mais positiva. Criado na base do clube, o jogador se tornou o mais jovem a estrear pelo time profissional alvinegro em 2003, ainda aos 16 anos. Lá, ficou até 2005, mas foi neste retorno que mostrou todo seu potencial para conduzir a equipe ao título nacional. Por isso, ele acredita que deixou as portas abertas no Parque São Jorge para um eventual retorno.

"Meu desejo sempre vai ser voltar para o clube. Sou corintiano mesmo, tenho certeza de que deixei as portas abertas. Então, uma volta é sempre tranquila. Aprendi muita coisa aqui no clube. Depois de ter me renovado como pessoa, coloquei em prática no clube que me deu a oportunidade. Aprendi muito como ser humano, como lidar com as pessoas, ser exemplo não só dentro, mas também fora de campo", afirmou.

O atacante deu até dicas a um possível reforço para assumir sua vaga. "Quem chegar tem de se comportar bem dentro e fora de campo. Muitas vezes, tecnicamente você pode não estar no seu melhor dia. Mas, pelos anos que tenho de experiência, você se dedicando e dando a vida, a torcida vai te abraçar e levar para onde quiser."

Mais conteúdo sobre:
futebol Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.