Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Jô volta a decidir clássico e Corinthians derrota o Santos na Arena

Atacante marca o gol da vitória corintiana sobre santistas

Raphael Ramos, O Estado de S. Paulo

04 de março de 2017 | 20h36

A contratação de Jô não teve o impacto e a mesma repercussão das chegadas de Lucas Pratto ao São Paulo e de Borja ao Palmeiras, mas o corintiano é, neste início de temporada, o atacante mais efetivo entre os principais clubes do Campeonato Paulista. Neste sábado à noite, diante do Santos, no Itaquerão, Jô decidiu mais um clássico. O segundo no Campeonato Paulista. Assim como já havia ocorrido diante do Palmeiras, foi dele o gol que garantiu a vitória do Corinthians por 1 a 0.

Mesmo sem realizar uma grande partida, Jô fez aquilo que se espera de um centroavante de time grande: não vacilou quando teve a chance marcar. O seu gol, logo no primeiro minuto da etapa final, fez justiça a um time que foi superior ao adversário durante a maior parte do jogo.

Sem seus principais jogadores, o Santos pagou caro ao escalar vários reservas. Lucas Lima, Ricardo Oliveira e Renato não jogaram neste sábado e devem retornar à equipe na quinta-feira, contra o Sporting Cristal, na estreia do time na Libertadores. Com mais uma derrota, a equipe está fora da zona de classificação do Campeonato Paulista e aumenta ainda mais a pressão em cima do técnico Dorival Junior.

Do lado do Corinthians, Fábio Carille escalou o que tinha de melhor e venceu o seu segundo clássico seguido em casa. Com o resultado, a equipe recupera o moral após a péssima impressão deixada na sofrida classificação contra o Brusque na Copa do Brasil.

O Corinthians começou o jogo pressionando e foi "dono" da partida nos primeiros 15 minutos. Com a marcação avançada, a equipe deixou o Santos preso em seu campo de defesa e só parou nas boas defesas do goleiro Vladimir, como aos sete minutos depois do chute de fora da área de Maycon.

O domínio do Corinthians só não foi maior porque Jadson, ainda fora de forma, errava muitos passes e Jô, mal posicionado, estava constantemente impedido. Romero, pela esquerda, era pouco efetivo. O paraguaio até recebeu duas boas bolas, mas optou pelo passe em vez de arriscar o chute e errou.

O Santos se segurava na defesa, mas sofria na armação das jogadas. Yuri e Thiago Maia eram os responsáveis por fazer a ligação entre o meio de campo e o ataque, mas sem mesma qualidade de Renato e Lucas Lima, poupados para a Libertadores. A equipe só conseguiu equilibrar o jogo a partir dos 20 minutos, quando passou a manter mais a bola no ataque. Mesmo assim, o time era pouco incisivo e, com isso, facilitava o trabalho da defesa corintiana.

No segundo tempo, um gol de Jô logo no primeiro minuto mudou o panorama da partida. Após boa trama pela esquerda com Rodriguinho, Jadson e Romero, a bola chegou até Guilherme Arana, que cruzou na medida para Jô, livre, cabecear no canto. Em vantagem, o Corinthians recuou a marcação e deu campo de jogo para o Santos. Os visitantes passaram a ter maior posse de bola, mas, sem qualidade, não conseguiram furar o forte esquema defensivo do Corinthians, que soube se segurar até o apito final.

A vitória sobre o Santos levou o Corinthians a somar 18 pontos na liderança disparada do Grupo A do Paulistão, do qual também é o líder geral. Já o time santista estacionou nos dez pontos na terceira posição do Grupo D. O time corintiano voltará a campo na quinta-feira, quando enfrenta o Luverdense, fora de casa, pela terceira fase da Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 x 0 SANTOS

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Jadson, Maycon, Rodriguinho (Giovanni Augusto) e Romero (Léo Jabá); Jô (Kazim). Técnico: Fábio Carille.

SANTOS - Vladimir; Victor Ferraz, Cléber, Lucas Veríssimo e Zeca; Yuri (Rafael Longuine), Thiago Maia e Vitor Bueno; Bruno Henrique, Kayke (Thiago Ribeiro) e Copete (Rodrigão). Técnico: Dorival Júnior.

GOL - Jô, a 1 minuto do segundo tempo.

ÁRBITRO - Leandro Bizzio Marinho.

CARTÕES AMARELOS - Gabriel, Jadson, Rodriguinho, Vladimir e Pablo.

PÚBLICO - 36.111 pagantes.

RENDA - R$ 1.991.856,80.

LOCAL - Itaquerão, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.