Ivan Storti/ Santos FC
Ivan Storti/ Santos FC

João Paulo pede defesa mais segura para Santos encerrar série de tropeços

Equipe santista segue em busca de vaga na próxima edição da Copa Libertadores

Redação, Estadão Conteúdo

12 de fevereiro de 2021 | 14h38

Melhorar o rendimento do sistema defensivo e aproveitar a sequência de jogos em casa para assegurar uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores. É a esses aspectos que o Santos se apega na reta final do Campeonato Brasileiro, como revelou nesta sexta-feira o goleiro João Paulo.

O time agora, afinal, fará três jogos seguidos na Vila Belmiro, a começar pelo confronto de sábado com o Coritiba. Depois, enfrentará Corinthians (quarta-feira) e Fluminense (dia 21), encerando sua campanha contra o Bahia, no dia 25, fora de casa. Só que a defesa precisa ser mais segura, pois o time foi vazado nos últimos oito compromissos, algo determinante para a série de sete jogos sem vitórias por diferentes competições.

"Precisamos ter um pouco mais de atenção em alguns momentos do jogo. Sabemos que o nosso sistema defensivo é bom e precisamos melhorar isso. Fizemos uma semana de treinos intensos, então creio que vamos fazer um grande jogo e quem sabe sem tomar gols. E esse embate com o Coritiba é o começo de uma sequência importante. Tivemos duas partidas bem difíceis fora de casa (Grêmio e Atlético-GO), conseguimos dois empates que podem fazer a diferença lá na frente, mas isso só vai acontecer se fizermos nossa lição de casa. E essa arrancada final precisa começar já neste sábado", disse o goleiro.

Depois de se revezar em boa parte da temporada na meta santista com John, João Paulo fechará o ano como titular e goleiro mais usado pelo time, como avisado pelo técnico Cuca após o duelo com o Atlético Goianiense. Algo, claro, celebrado por ele. Mas também garantindo que a disputa não afeta a grande amizade entre eles.

"Como eu já disse outras vezes, quem tem a ganhar com essa disputa no gol é o Santos. Hoje eu estou como titular e agradeço por isso. Mas o John é um amigo pessoal, comecei a jogar com ele desde a base, e nós temos uma grande parceria dentro e fora de campo. Um ajuda o outro, e quem ganha com isso é o clube", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.