Joel diz que é impossível fazer mágica no Fluminense

A lua de mel do técnico Joel Santana com o Fluminense parece ter acabado com a derrota do último domingo para o Botafogo. ?Não sou mágico, sou treinador de futebol e amigo dos jogadores. Estou pronto para a pressão porque trabalho em clube forte. Quem não quiser pressão, tem que mudar de clube?, disparou o técnico, que está no clube há cerca de um mês e teme ficar de fora da fase final da Taça Rio - e, por conseqüência, da disputa do título carioca.?Numa competição curta, se você perde um jogo, o canhão se vira para o seu lado. Seria o mesmo com o Botafogo se o Fluminense tivesse sido o vencedor do clássico?, disse o técnico, que encontrou o grupo chateado na representação e disse que, para o jogo de domingo, contra o Madureira, a concentração começa na sexta-feira. "foram eles que pediram", explicou.O zagueiro Thiago Silva admitiu o baque após os cinco jogos sem derrota sobre o comando de Joel. "O torcedor fica com o pé atrás pelo que aconteceu no ano passado e uma derrota gera desconfiança. Temos de ter tranqüilidade", afirmou. O atacante Soares, que sofreu o pênalti perdido por Carlos Alberto, disse que teve problemas para pegar no sono depois do clássico. "Vi o jogo em casa e não acredito que não consegui fazer pelo menos um gol no domingo. Acho que não era meu dia."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.