Joel ganha mais tempo no Guarani

O técnico Joel Santana ganhou mais 15 dias no Guarani. Mesmo após mais uma derrota - para o Santos por 3 a 0 -, ele continua prestigiado pela diretoria. Após muitas especulações de que seria demitido na segunda-feira, os dirigentes do clube se reuniram e decidiram mantê-lo pelo menos por mais três jogos: contra o América-MG, dia 17 (em Belo Horizonte) e 24 (em Campinas), pela Copa do Brasil, e ainda pela última rodada do Paulista, domingo, com o Santo André.Sob comando de Joel Santana, o Guarani teve uma das piores campanhas de sua história em campeonatos paulistas. Tanto que, pela primeira vez nos 59 anos de participação, essa será a primeira vez que o clube não conquistou uma vitória em casa.Foram três empates e duas derrotas. Nesta edição venceu apenas o Ituano (1 a 0), em Itu. Além disso, foi o único time até o momento a perder pontos para o União São João (1 a 1), considerado o pior do Paulistão.Tais feitos geraram uma crise interna no Guarani. A diretoria está rachada em três alas: a do presidente José Luiz Lourencetti, do vice Antônio Carlos Secacci e da empresa Medial Saúde (patrocinadora do clube). A falta de sintonia revoltou a torcida, que realiza constantes protestos contra a atual gestão. Alguns até pedem a saída do presidente, reeleito em dezembro para um mandato de mais quatro anos - ele já está há quatro anos e nove meses no cargo.

Agencia Estado,

09 de março de 2004 | 15h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.