Joel promete reerguer o Flamengo em sua apresentação

Contratado para o lugar do demitido Ney Franco, técnico assume clube da Gávea pela quarta vez

30 de julho de 2007 | 20h52

Sem conter as lágrimas, Joel Santana foi apresentado na tarde desta segunda-feira como o novo treinador do Flamengo. Em sua quarta passagem pelo clube carioca, ele chega para substituir Ney Franco, que foi demitido na noite de domingo por causa da péssima campanha no Brasileirão.Como o time precisar reagir, Joel já comanda seu primeiro treino nesta terça-feira. Mas ele terá a semana inteira para preparar o Flamengo para o próximo jogo, que será domingo, contra o Santos, na Vila Belmiro. A ordem é sair da zona de rebaixamento: está com 12 pontos, em 19º lugar."Estou emocionado e pelo movimento que fizeram para o meu retorno. Tenho a missão de tirar o Flamengo desta crise que incomoda a todos", disse, chorando, Joel. "Um homem também chora de alegria."Esta é a quarta vez que Joel assume o comando do Flamengo. No total, foram 111 partidas, com 62 vitórias, 31 empates e 18 derrotas. Dessa vez, ele o ex-jogador Andrade como auxiliar técnico, enquanto Ronaldo Torres será o preparador físico.Em 2005, na sua última passagem pelo Flamengo, Joel viveu situação semelhante ao que irá enfrentar agora. Ele assumiu o comando quando o time estava ameaçado pelo rebaixamento no Brasileirão e saiu consagrado por conseguir escapar da queda. Na ocasião, nos últimos nove jogos do campeonato, foram seis vitórias e três empates. E deixou o cargo, apesar dos apelos dos torcedores, por causa da boa proposta do futebol japonês."O Flamengo tem time para estar lá em cima na tabela. Não podemos esperar mais para reagir. A torcida está sem aquele sorriso que a gente se acostumou a ver. Vamos das a volta por cima", avisou o técnico.Antes de assumir o cargo na tarde desta segunda-feira, Joel revelou ter almoçado com Ney Franco, que he passou informações sobre os jogadores do elenco flamenguista. Ele elogiou a postura do colega demitido e fez uma previsão otimista para o confronto contra o Santos."Foi uma conversa bacana, porque o Ney é uma pessoa gentil", afirmou Joel. "Temos logo uma parada dura pela frente. Vamos trabalhar o máximo nesses dias para começarmos a reagir já contra o Santos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.