Marcio Rodrigues
Marcio Rodrigues

Joel Santana afirma que aceita retomar carreira para ajudar o Botafogo na Série B

Ex-futebolista abriu mão da aposentadoria dos últimos quatro anos para assumir a missão de recolocar o time na elite nacional

Redação, Estadão Conteúdo

19 de julho de 2021 | 21h20

A dura busca dos dirigentes do Botafogo a um técnico disposto a ajudar a equipe na Série B pode chegar ao fim em breve. Ouvindo muitos "nãos", eles ficaram cientes nesta segunda-feira que Joel Santana aceita abrir mão da aposentadoria dos últimos quatro anos para assumir a missão de recolocar o time na elite nacional.

Marcelo Chamusca foi demitido por não fazer o time emplacar. Desde o Campeonato Carioca sem conseguir agradar, caiu por causa do efeito gangorra no começo da Série B. Com comando interino, derrota para o Brusque e desespero nos torcedores, que "saíram à procura" de um comandante e pediram ajuda a Joel Santana com medo da aproximação à zona de queda.

Questionado se aceitaria retomar a carreira, o ex-técnico do clube não negou ajuda. "Essa é a pergunta que todo mundo quer saber e vou dizer o seguinte: tenho recebido tanto pedido de botafoguenses, que me pedem para voltar, que vão cair e tal. Eu fui agora para Minas (Gerais), ali por Leopoldina, e nunca vi lugar para ter tanto botafoguense. Eu tive que ir para a praça conversar com eles", afirmou, à rádio Tupi.

Enrolou um pouquinho e depois foi categórico. "Para felicidade de todos, de toda a nação, diga ao Botafogo que vou lá tentar ajudar. Mas temos que agilizar isso, tem que ser rápido, sou muito compromissado. Me dói muito ver o Botafogo nessa situação", disse, jogando pressão nos dirigentes.

Não é certo que a diretoria do time alvinegro aceite negociar com Joel Santana. Mas a torcida faz coro pelo treinador, campeão carioca de 1997 ao conquistar a Taça Guanabara e a Taça Rio. Ainda levaria o time a outro título estadual, em 2010. Virou o nome "salvador".

O Botafogo faz campanha decepcionante na Série B. Com apenas 13 pontos em 11 rodadas, ocupa o 13° lugar, a quatro de distância da zona de rebaixamento e sete longe do G4. Seu próximo jogo ocorre nesta terça-feira, no Rio, diante do quinto colocado Goiás, também sem treinador após dispensar Pintado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.