Sergio Neves/AE
Sergio Neves/AE

Joel Santana diz ainda acreditar no título do Botafogo

'Eu tenho esperança de chegar ao G-3 e, se bobear, até ao título', afirma o técnico, confiante

AE, Agência Estado

30 de setembro de 2010 | 11h15

Após o empate por 1 a 1 com o Corinthians, na noite de quarta-feira, no Pacaembu, o Botafogo ficou com 41 pontos no Brasileirão, 10 atrás do líder Fluminense. Mesmo com essa grande desvantagem, o técnico Joel Santana avisou que ainda acredita nas chances botafoguenses de chegar ao título.

Veja também:

linkCorinthians empata com Botafogo

Brasileirão - tabela Classificação / lista Resultados

som Rádio Eldorado/ESPN - Corinthians 1x0 / Corinthians 1 x 1

Segundo Joel, a atuação diante do Corinthians no Pacaembu lhe dá confiança de que o Botafogo está no caminho certo. "Quando o time consegue jogar como sabe, aplicado taticamente, disciplinado, fazemos grandes jogos contra as melhores equipes do País. O time está de parabéns", afirmou.

"Se conseguirmos jogar da maneira que jogamos, acho que temos condição de chegar pertinho de todo mundo. O que me interessa é o grupo manter a disciplina e a vontade até o fim do ano. Eu tenho esperança de chegar ao G-3 e, se bobear, até ao título", disse Joel.

Apesar de elogiar a atuação do Botafogo, Joel não poupou críticas à arbitragem no empate contra o Corinthians, reclamando especialmente de dois lances do jogo no Pacaembu: o gol anulado do atacante argentino Herrera e um impedimento do lateral Marcelo Cordeiro.

"E a gente não pode falar nada, tem que aceitar. Só vejo acontecer com o Botafogo. Não é possível. Estou tentando colocar o Botafogo na Libertadores e não é fácil. Olha o prejuízo. Não quero que me ajudem, mas não precisam me prejudicar sempre. Foram dois lances decisivos", reclamou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBotafogoJoel Santana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.