Joel Santana em clima de despedida

Após os péssimos resultados nos últimos empates com União São João e União Cacoalense, de Rondônia, o técnico Joel Santana treinou o Guarani nos últimos dias sob um clima de despedida. Principalmente após os comentários de que o clube campineiro estaria interessado em Tite e Lori Sandri. A preocupação de Joel Santana é completamente compreensiva, pois uma derrota contra o Santos, domingo, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas, é justamente o motivo ideal para que a diretoria lhe dê a carta de demissão. Ciente de que pode ser demitido a qualquer momento, o treinador tem feito várias mudanças entre os titulares nos treinamentos para encontrar a melhor formação. Já escalou o 3-5-2, o 4-4-2 e o 4-3-3, mas, pelo menos por enquanto, nenhum deu certo. Para a partida contra o time santista, Joel demonstra que vai optar pelo tradicional 4-4-2. Até porque a qualidade do adversário o impede de tentar alguma surpresa. O sistema defensivo deve ser o mesmo que apenas empatou com o Cacoalense. A grande dúvida está do meio campo para frente. O argentino Loscri é o mais cotado para atuar na armação ao lado de Alex. A baixa no coletivo-apronto desta sexta-feira foi o volante Sidney, poupado por estar em estado febril. A opção é Reinaldo, uma vez que o meia Alexandre está vetado pelo departamento médico. No ataque, Roncatto deve continuar ao lado de Viola.

Agencia Estado,

05 de março de 2004 | 19h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.