Joel Santana lamenta não contar com torcida no clássico

Apenas torcedores do Atlético-MG poderão entrar na Arena do Jacaré

AE, Agência Estado

23 de agosto de 2011 | 18h59

BELO HORIZONTE - Um dos mais experientes treinadores do futebol brasileiro, Joel Santana vai viver uma experiência nova neste final de semana: trabalhar num clássico onde só é permitida a presença de uma torcida. No confronto entre Cruzeiro e Atlético-MG, domingo, na Arena do Jacaré, só os torcedores alvinegros poderão acompanhar de perto o seu time.

"Eu gostaria que as duas torcidas estivessem, com seus cantos e seu incentivo, presentes no estádio. Dividiria o estádio e colocaria as duas torcidas lá, mas não posso responder, porque não estava aqui quando houve essa decisão. Então, toda decisão eu respeito", disse o treinador.

Este também será o primeiro clássico mineiro de Joel, que já trabalho nos grandes dérbis do Rio, de São Paulo, da Bahia, do Rio Grande do Sul e do Paraná. Agora ele fecha o ciclo. "Isso uma hora ia acontecer. É uma semana diferente, é um jogo diferente, que tem história. Eu já disputei Ba-Vi, Internacional e Grêmio, Coritiba e Atlético-PR, Vasco e Flamengo, Flamengo e Fluminense, Corinthians e Palmeiras... E estava faltando aqui, mas chegou minha hora", disse.

Apesar do momento ruim do Atlético-MG e da recuperação do Cruzeiro no Brasileirão, Joel garante que não há um favorito no clássico. "Independentemente de o Cruzeiro estar bem e o Atlético-MG mal, na hora em que a bola rola, é uma história muito grande, que envolveu grandes treinadores e jogadores. É um jogo que temos que respeitar a todo momento", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.