Joelho pode "melar" venda de Luizão

A lesão que tirou Luizão do clássico contra a Portuguesa aos 26 minutos do segundo tempo é muito grave e pode ´melar´ a sua transferência para o Borussia Dortmund, da Alemanha. O atacante se submeteu a uma ressonância magnética hoje à tarde, no consultório do médico Joaquim Grava, no Itaim, e o resultado foi o pior possível: ruptura no menisco e no ligamento cruzado anterior do joelho direito.Em 10 dias, Luizão será operado e deve ficar afastado do futebol por 9 meses, de acordo com a previsão do médico corintiano.Abalado com o fato, Luizão sequer compareceu ao Parque São Jorge. A única pessoa do clube que conversou com ele foi o próprio Joaquim Grava - e mesmo assim só por alguns minutos após o resultado da ressonância magnética. "Nessas horas não há muito o que falar. Ele estava arrasado e nem poderia ser diferente", resumiu Grava.Nenhum dirigente do clube ou da Hicks Muse esteve no Parque São Jorge para esclarecer como fica a negociação com o Borussia Dortmund - por US$ 15 milhões - depois que o jogador se contundiu gravemente.Oficialmente também não há nenhuma confirmação de que a Hicks Muse tenha contratado uma apólice de seguro para proteger o atacante no clássico contra a Portuguesa. A única certeza sobre o tal seguro foi dada pelo próprio Luizão, superficialmente, na véspera da partida."Está tudo certo, está tudo certo", disse o jogador ainda no sábado. Já o vice-presidente de futebol, Antônio Roque Citadini, também no sábado sugeria que os repórteres procurassem a Hicks - que, por sua vez, como de costume, não deu nenhuma informação.Sem qualquer espécie de participação do Corinthians, a Hicks está articulando todas as negociações diretamente com o Borussia Dortmund, até porque o passe de Luizão pertence à empresa norte-americana, que o contratou por US$ 7 milhões do La Coruña, em 1999. O chefão Dick Law é quem está cuidando pessoalmente do assunto e só ele tem condições de provar se Luizão já foi vendido e que o seguro foi assinado. Caso contrário, o prejuízo de US$ 15 milhões será inevitável.Segundo um contato feito pelo Jornal da Tarde com o clube alemão, Luizão não tem sequer um pré-contrato assinado com o Borussia Dortmund. O único documento assinado por um representante do Borussia é uma carta da intenção que lhe assegura o direito de ficar com Luizão por US$ 15 milhões. No entanto, a grave lesão no joelho direito do atacante deve mudar radicalmente o desenrolar das negociações.Com a lesão, o próprio Luizão também terá prejuízos irreparáveis. Além da própria Seleção Brasileira, o atacante terá o seu contrato com o Corinthians por vencer em 30 de junho e, com certeza, perderá o poder de barganha numa eventual renovação. A única esperança é a de que o tal seguro tenha mesmo sido contratado pela Hicks Muse.O lado positivo da lesão é que o Corinthians tem um cirurgião extremamente competente. Só no próprio clube, nos últimos 12 meses, o médico Joaquim Grava operou três jogadores com a mesma lesão: Marcos Senna, Gilmar e Fernando Baiano. Fernando Baiano ainda está em fase de recuperação, mas Senna e Gilmar voltaram sem problemas. "O drama maior nesse lesão é a recuperação, que exige do paciente muita paciência e dedicação", explica Grava.O tempo de recuperação também é variável. Segundo Grava, a média é de 9 meses. Mas pode ser menor, dependendo de cada indivíduo. Leandro, ex-atacante da Portuguesa que atualmente joga no Porto, sofreu a mesma lesão e voltou a jogar em cinco meses. Esse passa a ser o maior desafio de Luizão a partir de agora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.