Jogador argentino está incomunicável

O zagueiro argentino Leandro Desábato, do Quilmes, permanece preso e incomunicável em uma cela individual no 34º Distrito Policial da Vila Sônia, zonal Sul de São Paulo. O jogador - preso em flagrante na noite de ontem ainda no gramado do Morumbi por ofensas racistas contra o são-paulino Grafite - teve contato apenas com os advogados no início da manhã, que recolheram sua assinatura para o pedido de habeas corpus encaminhado à justiça. Membros de delegação do Quilmes, no entanto, foram impedidos de falar com o atleta. No meio da manhã, um massagista do clube esteve no distrito mas não pôde entrar na cela. Os policiais explicaram que o jogador havia sido examinado por um médico na noite anterior e garantiram ao funcionário que o zagueiro estava bem.O presidente do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo, Rinaldo Martorelli, também tentou visitar o atleta, só que na condição de diretor jurídico do sindicato sul-americano de atletas. ??É lógico que o racismo deve ser combatido, mas estou aqui para garantir a ele (Desábato) o amplo direito de defesa?, afirmou o sindicalista.O pedido de relaxamento de prisão já foi encaminhado ao departamento de inquéritos policiais no Fórum da Barra Funda, mas ainda não se tem previsão sobre o andamento do processo. É possível que Desábato seja liberado ainda nesta quinta-feira sob pagamento de fiança. Mas é possível também que ele permaneça detido por tempo indeterminado.

Agencia Estado,

14 de abril de 2005 | 11h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.